Cariátide


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Cariátide é o nome dado a uma coluna arquitetônica que assume a forma de uma figura feminina em pé. Os primeiros exemplos vêm da arquitetura grega antiga e, de fato, os exemplos mais famosos são encontrados no pórtico sul do Erecteion na acrópole de Atenas.

Nomenclatura e origens

O termo cariátide apareceu pela primeira vez no século 4 aC e foi cunhado por Vitrúvio em referência a Karyai na Lacônia, onde as mulheres frequentemente dançavam balançando uma cesta sobre a cabeça em homenagem a Ártemis e onde cariátides eram usadas na arquitetura arcaica. Eles foram uma evolução do anterior Korai estátuas de figuras masculinas e femininas predominantes em todo o período arcaico e usadas como colunas na arquitetura jônica. Essas foram em si uma evolução das colunas persas que frequentemente empregavam figuras de animais no design da coluna.

As cariátides mais famosas são as seis que sustentam a cobertura do pórtico do Erecteion na acrópole ateniense.

Cariátides arcaicas geralmente eram usadas nas varandas dos edifícios do Tesouro, que eram construídos para abrigar oferendas de estados específicos em santuários religiosos, como Delfos e Olímpia. O tesouro mais importante em Delfos era dos Sifnianos (c. 525 AEC) e este e pelo menos dois outros tesouros tinham cariátides. As cariátides desse período costumam ter um tambor de coluna curto acima da cabeça para facilitar a união com o capitel da coluna.

O Erechtheion

As cariátides mais famosas são as seis que sustentam o teto do falso pórtico sul do Erecteion na acrópole ateniense. Este edifício foi construído entre 421 e 406 aC como parte do grande projeto de Péricles para rejuvenescer a arquitetura da grande cidade. O Erechtheion foi construído para abrigar a antiga estátua de culto de madeira de Atenas, mas também serviu como um centro para os cultos de Erecteu (um rei mítico de Atenas), seu irmão Boutes, Hefesto e Poseidon. As cariátides exibem características que se tornariam elementos básicos da escultura clássica: roupas que se agarram ao corpo (o 'look molhado') e um posicionamento mais ousado e dinâmico de quadris e pernas. Embora cada cariátide use o mesmo manto - um dórico com cinto peplos E curto himação - cada um é renderizado de forma única, uma característica particularmente perceptível em seus intrincados penteados trançados (melhor visto de trás). Os braços das figuras infelizmente foram perdidos, mas cópias romanas mostram-nos segurando em suas mãos direitas Phialai - recipientes rasos para despejar libações - enquanto sua mão esquerda levantava ligeiramente o manto. Os estudiosos acreditam que foram esculpidos por diferentes artistas, muito provavelmente da oficina de Alcamenes, aluno e colega de Fídias.

Curiosamente, o pórtico de Erechtheion fica sobre o que se acreditava ser a tumba do mítico rei Kekrops e talvez as cariátides e seus vasos de libação sejam um tributo a esse fato - libações foram derramadas no chão como uma oferenda aos mortos. As cariátides que agora estão na acrópole são cópias, cinco dos originais residem no Museu da Acrópole de Atenas e a outra no Museu Britânico, em Londres.

História de amor?

Inscreva-se para receber nosso boletim informativo semanal gratuito por e-mail!


Esplendor Pentélico: As Cariátides Erechtheion

Vista sul do Erechtheion, Acrópole, Atenas, Grécia. Fonte: Soluções de Escultura.

Cariátide é um termo usado para descrever a escultura de uma figura feminina servindo como coluna e suporte arquitetônico funcional. O uso da forma humana como uma parte decorativa ou funcional da arquitetura foi visto em muitas culturas antigas. Essa técnica é visível em todo o mundo até hoje, mas as da Acrópole ainda são as mais famosas e mais copiadas.

Fotografia do Erechtheion, Dimitrios Constantin, 1865, Albumen Silver Print. Fonte: Getty

Construídas entre 421-405 AC, as seis cariátides adornam o pórtico sul (também conhecido como Pórtico das Donzelas) do Erecteion e servem como suporte estrutural e arquitetônico no lugar das colunas típicas. Um edifício incomum e de formato único, o local era anteriormente o de outro templo destruído na batalha com os persas. Foi feito para abrigar uma estátua de madeira de oliveira de Atena Polias. Erechtheus era o nome de um antigo rei, que julgava os presentes de Atenas e Poseidon naquele local. Única em forma, estrutura e localização, a arquitetura Iônica do Erechtheion oferece um contraste adorável com a estrutura dórica do Partenon bem próximo a ele. Como acontece com todas as esculturas gregas, elas seriam decoradas e pintadas com cores vivas.

Close da vista lateral da cariátide britânica. Fonte: Museu Britânico

As cariátides medem 2,27 metros (7,5 pés) e são feitas do melhor mármore grego, o pentélico. Como as primeiras figuras Korai da Grécia arcaica, essas mulheres são altas e eretas. Ao contrário de Korai, estes são em estilo High Classic com uma postura contrapposto graciosa e cortinas verticais detalhadas imitando o estrias verticais das colunas jônicas. Uma perna dobrada e uma reta fornecem contraste visual e também uma sensação de estabilidade e força. Eles resumem as noções idealizadas de harmonia, equilíbrio e nobreza.

Cada mulher usa os peplos e himation e tinha a perna dobrada, mas também tinha características e detalhes bem diferentes, principalmente no rosto e nos cabelos. Não são apenas cópias da mesma figura, há individualidade em cada um deles. Isso sugere que todos foram esculpidos na mesma oficina. Infelizmente, as armas estão faltando, mas as cópias romanas as mostram segurando vasos de libações ou oferendas.

Close up da cariátide. Fonte: SIGGRAPH 2004 Electronic Theatre

Não se sabe se eles pretendem representar mulheres específicas ou se são apenas enfeites arquitetônicos. A palavra cariátide vem de cariátides significando donzelas de Karyai, uma antiga cidade do Peloponeso. As mulheres dançavam com cestos na cabeça em homenagem a Artemis. Sua localização também imita os frisos da procissão panatenaica que adornam o vizinho Partenon.

Não apenas a influência das cariátides pode ser vista na arquitetura ao longo da história, mas os intrincados estilos de cabelo também foram estudados em detalhes. Mais recentemente, a professora Katherine Schwab da Fairfield University em Connecticut, EUA, copiou os vários estilos de cabelo de seis alunos em seu projeto de penteado cariátide. Um DVD também foi criado para permitir que as pessoas criassem os estilos em casa.

Reconstrução capilar do Professor Schwab. Fonte: The Independent, 2015.

Uma limpeza massiva a laser foi feita de 2011-2014 para limpar e reparar anos de poluição e sujeira. Foi utilizada tecnologia de ponta. O laser de precisão foi feito um centímetro de cada vez, garantindo que as estátuas estivessem protegidas e bem cuidadas.

Limpeza com lasers. Fonte: YouTube: Museu da Acrópole, 2012

As seis figuras permaneceram juntas e in situ até 1802, quando Lord Elgin levou uma das figuras para expor no Museu Britânico. Os cinco restantes foram transferidos para o Museu da Acrópole em 1978 para evitar mais danos ambientais. As réplicas estão em seus lugares hoje. Inúmeras tentativas foram feitas para que a figura do Museu Britânico fosse devolvida à Grécia.

Cariátide no Museu Britânico. Fonte: JustCruisesPlus.com, 2013.

Essas controvérsias e o imenso cuidado com as cariátides mostram como essas figuras são poderosas três mil anos após sua criação. Eles são parte de uma história e história mundial que parece apenas se aprofundar e ainda mais intriga.


Qual dos seis Cariátides trançou o cabelo mais rápido? Eles usaram ferramentas para ondular o cabelo? Normalmente, a pesquisa em arqueologia não envolve pesquisa prática em um salão de cabeleireiro. Mas no caso de Katherine Schwab, especialista em arte e arqueologia grega e romana e professor de artes visuais e performáticas na Fairfield University em Connecticut.

Dez anos atrás, enquanto observava as cariátides, ela notou algo além de seus beleza clássica, suas poses graciosas e suas características únicas: seus penteados! “Podemos recriar isso?” ela perguntou a um cabeleireiro experiente, apontando para fotos da escultura em mármore de 2.500 anos tranças rabo de peixe nas seis donzelas famosas, que, durante séculos, ocuparam o lugar de colunas no pórtico sul do Erecteion na Acrópole.

Falando comigo agora, o professor explica que “esta questão levou a um exemplo de arqueologia experimental. ” Ela está se referindo ao “The Caryatid Hairstyling Project”, apresentado pela primeira vez em 2009 e, desde então, o tema de um documentário exibido em universidades, museus, galerias e festivais de cinema arqueológico em todo o mundo.

Professora Katherine Schwab, especialista em arte e arqueologia grega e romana Professora Katherine Schwab, especialista em arte e arqueologia grega e romana O processo de recriar os penteados em uma modelo real O processo de recriar os penteados em uma modelo real

Quando foi a primeira vez que você percebeu que as cariátides têm estilos de cabelo interessantes?

Em 2007, a Fairfield University sediou a estreia mundial da exposição “The Creative Photograph in Archaeology”, organizada pelo Museu Benaki em Atenas, que incluiu várias fotografias das cariátides. Observei atentamente as fotos do fotógrafo alemão Gösta Hellner. A complexidade das tranças e até a presença do tranças Eles próprios foram surpreendentes, e eu percebi, também, que não havia dois estilos de cabelo exatamente iguais. Cada cariátide ou kore tinha, no entanto, uma trança espessa em rabo de peixe. Atualmente, o fishtail é um dos mais tranças da moda, e sempre me pergunto se as pessoas que o usam hoje entendem sua história ou sabem que ele também é usado pelas cariátides da Acrópole ateniense, esculpida há quase 2.500 anos.

Os estilos de cabelo que eu estava olhando eram notavelmente bem preservado isso se deve, em parte, à cobertura da varanda sul do Erechtheion, que oferece proteção contra os efeitos da poluição do ar e intempéries em geral. As fotografias de Hellner revelaram detalhes nítidos. Enquanto eu olhava para eles, me perguntei se poderíamos recriar esses penteados antigos.

Entrei em contato com Milexy Torres, uma cabeleireira muito talentosa e experiente da minha cidade. Mostrei as fotos e ela disse que sabia exatamente o que estava acontecendo e como esses penteados foram criados. Em Atenas, o Arquivista da Escola Americana de Estudos Clássicos de Atenas (minha afiliação de pesquisa na Grécia) chamou minha atenção para um fotografia deslumbrante isso tem data anterior a 1907. Os penteados de Kore A e Kore B em retrovisor estavam em excelentes condições com esculturas requintadas ainda bastante visíveis.

Qual é a coisa mais incrível que você descobriu sobre cabelo no mundo clássico?

Uma das coisas mais notáveis ​​que descobrimos durante este projeto é que o cabelo realmente tem significado. O cabelo pode simbolizar ritos de passagem, identidade pessoal, status, identidade cultural e muito mais. A pesquisa sobre esses estilos de cabelo ancestrais pode levar a muitas direções e resultar em uma riqueza de informações sobre o papel que o cabelo desempenha, e desempenha, nas sociedades. Os estilos de cabelo usados ​​pelas antigas cariátides, por exemplo, são incomuns e parecem pertencer a uma tradição anterior. É provavelmente por isso que eles teriam sido usados ​​apenas em ocasiões muito especiais. Em parte, esses estilos de cabelo ligavam essas donzelas às tradições passadas da sociedade ateniense, formando uma ponte entre o tempo e as gerações.

Todo o projeto revelou como algo como o cabelo pode servir como um portal para um tempo e lugar que parecem remotos, e pode trazer uma era antiga à vida. Os alunos que viram o filme ficam constantemente surpresos e entusiasmados com a forma como este veículo, se quiserem, pode estimular sua curiosidade e seu desejo de aprender mais sobre uma cultura e sociedade. Neste caso, um penteado único é o trampolim, mas também se pode usar muitos outros tópicos.

Nossos ancestrais gregos usavam extensões de cabelo?

Que eu saiba, tais evidências não foram documentadas. Em contraste, extensões ou tranças foram encontradas em sepulturas romanas. No caso das cariátides, precisamos ter em mente que as próprias estátuas são bem maiores do que o tamanho natural e sua função como colunas de sustentação do teto requer uma espessura no pescoço (e, portanto, na trança em cauda de peixe) para sustentar o capitel acima suas cabeças e o telhado. Se tivéssemos que reduzir os números para a altura média feminina, acho que a quantidade de cabelo se torna mais compreensível e naturalmente atingível. As cariátides usam a trança rabo de peixe nas costas, dois ou três cachos saca-rolhas por trás da orelha apoiada em seus peitos, além de tranças que envolvem sua cabeça para criar uma transição da cabeça para a capital diretamente acima. É este último conjunto de tranças que nos faz questionar sobre o uso de extensões capilares.

As cariátides usam uma trança em cauda de peixe no pescoço e tranças enroladas em torno de suas cabeças. As cariátides usam uma trança em cauda de peixe no pescoço e tranças enroladas em suas cabeças A espessura das tranças da estátua foi projetada para adicionar força aos pescoços delgados

Que tal curling ou outras ferramentas? Eles tingiram o cabelo? Eles xampu? O que eles usaram e com que frequência?

Ferramentas para cabelo ondulado - esta é geralmente uma das primeiras perguntas que me fazem quando dou palestras sobre o projeto. Quase todas as representações de mulheres na arte grega antiga mostram cabelos com textura, de ondas suaves a cabelos muito encaracolados. Esse tipo de cabelo precisa de pouca orientação para formar cachos em espiral quando ainda úmido após a lavagem. Uma mecha de cabelo pode ser enrolada em um ferramenta simples, como um bastão fino e alisado. O bastão pode ser deslizado para fora, enquanto os cachos ficam enrolados por alguns dias. Esta abordagem de baixa tecnologia é prática e fácil de fazer, e eu aprendi que ela ainda é usada hoje em muitas áreas do mundo.

Não tenho certeza se realmente sabemos o que foi usado como xampu, mas algo como um chá de camomila solução pode fazer o trabalho. A menos que tenhamos cabelo real para testar resíduos químicos, não sei se conseguimos confirmar as evidências de tingimento de cabelo. Sabemos que na Roma antiga se praticava a tintura de cabelo. Para este fim, não seria surpreendente se algum tipo de coloração ou tintura também fosse aplicada ao cabelo na Grécia, mas realmente não temos evidências para apoiar isso.

Como você encontrou os modelos?

Ι comecei a procurar nas minhas aulas e no programa de História da Arte. Os principais elementos eram o comprimento, espessura e, se possível, cabelos ondulados ou cacheados. E encontrei seis alunos que tinham o melhor cabelo para o projeto.

Dois cachos saca-rolhas também são uma característica dos penteados das cariátides Dois cachos saca-rolhas também são uma característica dos estilos de cabelo das cariátides O penteado completo recriado o mais próximo possível daquele visto nas estátuas antigas O penteado completo recriado o mais próximo possível daquele visto nas estátuas antigas

Que tipo de dificuldades você enfrentou?

Modelar o cabelo provou ser realmente a parte mais fácil, pois Milexy sabia exatamente o que fazer e estava pronta para fazê-lo. Uma onda de calor inesperada, no entanto, apresentou um desafio, especialmente quando nossos seis modelos, com seus cabelos estilizados, foram para fora para serem filmados no mesmo arranjo que as cariátides originais. Alguns alunos tinham cabelos mais lisos e pesados, o que exigia spray de cabelo para manter os cachos no lugar. Uma vez lá fora no alto calor, aqueles cachos começaram a desaparecer. Em contraste, o cabelo natural mais cacheado, pertencente à modelo do aluno que foi Kore C, respondeu ao calor fazendo cachos menores e mais apertados - o comprimento de sua trança em cauda de peixe continuava encurtando. O impacto do calor intenso nesses penteados, um fator que não pudemos controlar, provou ser uma boa aproximação do que poderia ter sido enfrentado em Atenas durante o horário de verão na antiguidade, quando as donzelas participavam de festivais religiosos ao ar livre. Cronometrei quanto tempo levou para estilizar cada modelo - o mais rápido, cerca de 40 minutos, foi para a aluna que era Kore B. Seu cabelo tinha uma textura ideal para o penteado, especialmente a trança rabo de peixe. As modelos com cabelos mais lisos e pesados ​​exigiam mais tempo e aplicações de laca, e isso durava cerca de 1 hora e meia por modelo.

Você também desenvolveu um novo método para registrar suas observações dos metopes leste e norte do Partenon. Você está continuando sua pesquisa em Atenas?

Visito Atenas todos os anos, enquanto continuo a trabalhar em desenhos no Museu da Acrópole. Digitalizações em tons de cinza de meus desenhos de metope fazem parte da instalação na Galeria Parthenon e tê-los incluídos é um grande privilégio, pelo qual sou muito grato. Você pode vê-los nas molduras que prendem as metopos leste e norte. Minha esperança é que os desenhos chamem a atenção para os métodos que foram originalmente altamente visível na antiguidade. As digitalizações dos meus desenhos, combinadas com os métodos originais, envolvem o visitante do museu na consideração da composição original e do que foi perdido. Graças ao Professor Pantermalis, Presidente do Museu da Acrópole, é possível para mim desenhar na Galeria do Partenon por muitas horas todos os dias durante minhas viagens de pesquisa a Atenas. Às vezes, os visitantes vêm e falam comigo para perguntar no que estou trabalhando e ficam bastante curiosos sobre o programa escultural do Partenon e as pesquisas conduzidas por arqueólogos. Eles costumam ficar surpresos que a pesquisa no Partenon nunca para!


Projeto de penteado cariátide

Na Atenas antiga, o penteado feminino era um símbolo distinto de status usado por mulheres de alta posição social e afluência quando apareciam em ambientes públicos, como festivais religiosos.

Esculturas com elaborados penteados ou penteados femininos, revelados e em exibição no local sagrado e proeminente da antiga Acrópole ateniense, convidam a uma análise dos penteados preservados para determinar se os escultores inventaram ou não uma convenção artística ou usaram penteados reais da época.

The Caryatid Hairstyling Project, liderado por & # 160Dr. Katherine Schwab, foi conduzida na Fairfield University em abril de 2009. O projeto testou a realidade ou fantasia desses estilos de cabelo, envolvendo alunos voluntários como modelos, enquanto um cabeleireiro profissional recriou os estilos de cabelo individuais do mármore Erechtheion Cariátides ou donzelas (korai), que permanecem no lugar de colunas no Pórtico Sul.

O resultado? A confirmação de que as cariátides de mármore foram modeladas de acordo com as mulheres reais da época!

Seis alunos de Fairfield posam em frente ao Bellarmine Hall em 26 de abril de 2009. Seus elaborados penteados reproduzem as antigas cariátides do pórtico sul do Erechtheion, um templo na Acrópole ateniense.

  1. Veja as fotos & # 160 do penteado
  2. Saiba mais & # 160sobre as cariátides por meio de nossos recursos selecionados
  3. Para adquirir o DVD deste projeto único como uma ferramenta de aprendizado para você, sua escola ou instituição, entre em contato com o Museu Bellarmine.
  4. Ver eventos futuros e passados

Fotos do projeto de penteado cariátide

O Caryatid Hairstyling Project e o DVD acompanhante & # 160 foram generosamente financiados pelo Comitê de Pesquisa da Faculdade da Fairfield University, com apoio adicional do Programa de Estudos Clássicos, do Programa de História da Arte, do Departamento de Artes Visuais e Cênicas e do Instituto de Humanidades da Faculdade de Artes e Ciências.

Mídia / eventos anteriores e atuais

Palestras, Sessões de Cartazes, Publicações, Exposições, Exibições e Apresentações:

  • "Investigating the Surface: The Parthenon Metopes and Caryatid Hairstyles", Dartmouth College, 27 de setembro de 2016
  • "Classical Hairstyles: Identity, Society and Fashion", University of Arizona, 5 de abril de 2016
  • "The Caryatid Hairstyles", The Brearley School, New York City, 19 de abril de 2016
  • "Classical Hairstyles: Identity, Society and Fashion," Timken Museum of Art, 5 de maio de 2016
  • "Classical Hairstyles: Identity and Fashion", Trinity College, 7 de março de 2016
  • "Classical Hairstyles: Identity and Fashion", Bucknell University, 27 de outubro de 2015
  • "The Meaning and Technique of Hair in Ancient Greek Art", ATINER, 1 de junho de 2015
  • "The Caryatid Hairstyles", The Brearley School, New York City, 14 de abril de 2015
  • "The Caryatid Hairstyling Project", Fairfield University, 30 de março de 2015
  • "The Caryatid Hairstyles", The Marymount School, New York City, 12 de novembro de 2013
  • "How to Look Like a Greek Goddess", 3 de março de 2013, das 14h00 às 15h30. na Biblioteca Pública Wilton para adolescentes da 6ª à 12ª série.
  • "Os penteados cariátides da acrópole ateniense: técnica e significado" Archaeological Associates of Greenwich, Bruce Museum, Greenwich, CT, 18 de outubro de 2012 & # 160
  • "The Caryatid Hairstyling Project", & # 160ARTiria, Lefkada, Grécia, 9 de junho de 2012, exibição & # 160
  • "The Caryatid Hairstyles", The Brearley School, New York City, 24 de abril de 2012
  • "The Caryatid Hairstyles", Kouros Gallery, New York City, 17 de abril de 2012
  • "Investigando a superfície: estilos de cabelo das cariátides atenienses", Departamento de Clássicos, Amherst College, 27 de março de 2012
  • "The Caryatid Hairstyles: How to Braid Your Hair Like a Greek Goddess", Fairfield University Bookstore, 15 de fevereiro de 2012
  • "Typologies of the Caryatid Coiffures", apresentação da sessão de pôster, 114ª Reunião Anual, Instituto Arqueológico da América, Filadélfia, 6 de janeiro de 2012
  • "The Caryatid Hairstyles" A.G.A.P.W. (Association of Greek American Professional Women), World Bar, Trump World Tower, New York City, 13 de setembro de 2011
  • "The Caryatid Hairstyles," ESEDY (Greek Foreign Affairs Diplomats 'Spouses Association), Museu da Acrópole, Atenas, Grécia, 14 de junho de 2011
  • "The Caryatid Hairstyling Project and DVD Screening", Doshisha University, Kyoto, Japão, 23 de abril de 2011
  • "Investigating the Surface: the Parthenon Metopes and the Caryatid Hairstyles", co-patrocinado pela Escola Americana de Estudos Clássicos em Atenas e os Amigos Americanos do Novo Museu da Acrópole, Embaixada Grega, Washington, D.C., 7 de abril de 2011
  • "The Athenian Acropolis: The Restoration Project and New Acropolis Museum", e exibição do Caryatid Hairstyling Project, Speaker Series, White Sands Residential Community, La Jolla, Califórnia, 21 de março de 2011
  • "The Caryatid Hairstyles: Reality and Meaning (or how to trance your hair like a Greek goddess)," Department of Art History and Art, Case Western Reserve University, 8 de fevereiro de 2011
  • "Gifts from Athens", AHEPA, capítulo da Nova Grã-Bretanha, 25 de janeiro de 2011
  • "Investigating the Surface: the Parthenon Metopes and the Caryatid Hairstyles," Department of Art History and Archaeology, Columbia University, 19 de outubro de 2010
  • "Fotografias do projeto de penteado cariátide", Consulado Geral da Grécia na cidade de Nova York, 25 de fevereiro a 27 de março de 2015
  • "Photography of the Caryatid Hairstyling Project", Greek Embassy, ​​Washington, D.C., 30 de abril a 26 de junho de 2015
  • "Hair in the Classical World", Fairfield University Art Museum, Fairfield University, 7 de outubro a 18 de dezembro de 2015 & # 160
  • AGON Film Festival, Atenas, Grécia, 8 a 9 de novembro de 2014
  • Festival de Cinema Arqueológico, 14 de março de 2013. Uma Noite de Filmes Arqueológicos Organizados pelos Arquivos da Escola Americana de Estudos Clássicos em Atenas, AGON e Universidade Fairfield. O evento será & # 160 ao vivo transmitido a partir das 10h EST. & # 160
  • "Caryatid Hairstyling Project", 23º Festival Internacional de Filmes Arqueológicos, & # 160Trailer.
  • "Cinema e arqueologia: a câmera em busca do passado", Rovereto, Itália, 1-6 de outubro de 2012.
  • "Caryatid Hairstyling Project," AGON 2012 9º & # 160International Meeting of Archaeological Films & # 160on the Mediterranean and Beyond. Atenas, 7 a 13 de maio de 2012. & # 160Ver mais detalhes.
  • Katherine A. Schwab e Marice Rose, "Fishtail Braids and the Caryatid Hairstyling Project: Fashion Today and in Ancient Athens", Passarela: The Journal of Fashion, Beauty and Style, vol. 4.2 (2015) 1-24.
  • Rose, M. e K. Schwab, Cabelo no mundo clássico, brochura da exposição, Bellarmine Museum of Art, Fairfield University, outono de 2015

Galeria de fotos

Projeto de penteado cariátide& # 160na Fairfield University em abril de 2009 testou a possibilidade de replicar os estilos de cabelo e técnicas de tranças das cariátides de mármore & # 160 (ou donzelas) do Pórtico Sul do Erechtheion no & # 160Acrópole ateniense. 6 alunos (5 graduados em história da arte e 1 especialização em psicologia) foram selecionados para o projeto com base no comprimento e espessura de seus cabelos. Eles participaram por curiosidade e, depois do penteado, ficaram encantados com a conexão direta que sentiam com a antiga cultura ateniense.

Freqüentemente, os penteados na arte grega antiga são elaborados e parecem decorativos. No entanto, os cabeleireiros profissionais de hoje podem reconhecer prontamente o virtuosismo técnico dentro desses designs antigos. As cariátides são individualmente referidas como Kore A - F & # 160 (Kore é a palavra grega para "donzela"). Os elaborados penteados refletem um símbolo visual que conecta essas donzelas à comunidade ateniense maior. É essa conexão que viajou através dos tempos até nossos atuais alunos da Fairfield, conforme eles participaram desse projeto único.

Kore D - Mara Giarratana Young '11

Kore E - Caitlin Parker '11

Kore F - Shannon Berger '11

Recursos Recomendados

  • Antoniadis, Costis, ed., 2008. & # 160A fotografia criativa em arqueologia. Atenas, Museu Benaki.
  • Bartman, Elizabeth, 2001. "Hair and the Artifice of Roman Female Adornment", & # 160American Journal of Archaeology𧅩:1, 1-25.
  • Bartman, Elizabeth, 1999. & # 160Retratos de Livia. Imaginando a Mulher Imperial em Augusto& # 160Rome. Cambridge University Press.
  • Blomberg, Marilyn, 1985. "Five Greek Gold Earrings in the Medelhavsmuseet", & # 160Boletim Medelhavsmuseet㺔, 53-62.
  • Harrison, Evelyn B, 1986. "Greek Scupltured Coiffures and Ritual Haircuts", & # 160Primeiras práticas de culto grego: Anais do Quinto Simpósio Internacional no Instituto Sueco em Atenas, 26-29, junho de 1986. Eds. R. Hagg, N. Marinatos, G.C. Nordquist, 247-254.
  • Hurwit, Jeffrey M., 2004. & # 160A Acrópole na Era de Péricles. Cambridge University Press.
  • Lauter, Hans, 1976. & # 160Die Koren des Erechtheion. Antike Plastik㺐.
  • Lee, Mireille, 2000. "Deciphering Gender in Minoan Dress", em Alison Rautman, ed. & # 160Lendo o corpo: representações e vestígios no registro arqueológico. University of Pennsylvania Press.
  • Lesk, Alexandra L. Um Exame Diacrônico do Erecteion e Sua Recepção. Ph.D. Dissertação, University of Cincinnati, 2005.


Dra. Katherine Schwab e Dana Westrup '10 discutem o projeto de penteado.
  • Lesk, Alexandra L. "& # 8217Caryatides probantur inter pauca operum & # 8217: Plínio, Vitrúvio e a Semiótica das Donzelas Erechtheion em Roma," Arethusa 40:1 (2007) 25-42.
  • Lewis, Sian, 2002. & # 160A mulher ateniense. Routledge.
  • Levine, Molly Myerowitz, 1995. "The Gendered Grammar of Ancient Mediterranean Hair", em Howard Eilberg-Schwartz e Wendy Doniger, eds. & # 160Fora com a cabeça dela: A negação da identidade feminina em mitos, religião e cultura. Berkeley, 76-130.
  • Llewellyn-Jones, Lloyd, 2003. & # 160Tartaruga de Afrodite: a mulher velada da Grécia Antiga. Swansea.
  • Llewellyn-Jones, Lloyd e Sue Blondell, eds. Vestido feminino no mundo grego antigo
  • Oakley, John e Rebecca Sinos, 1993. & # 160O casamento na Atenas Antiga. University of Wisconsin Press.
  • Papanikolaou, Alexander, 1994. "The Restoration of the Erechtheion," in & # 160Restauração da Acrópole, ed. por Richard Economakis (Londres, Edições da Academia) 136-49.
  • Rose, M. e K. Schwab, Cabelo no mundo clássico, folheto da exposição, Bellamine Museum of Art, Fairfield University, outono de 2015.
  • Vlassopoulou, Christina, 2006. & # 160A Acrópole Ateniense: Os Monumentos e o Museu. Atenas.

Veja um clipe de três minutos do DVD & # 160The Caryatid Hairstyling Project, produzido pelo Media Center da Fairfield University. Para adquirir uma cópia, entre em contato com o Fairfield University Art Museum em [email protected]

Janeiro de 2017: "Desembaraçando as intrincadas tranças da cariátide" Grécia é. 4 de janeiro de 2017
Dezembro de 2015: "Ancient Hairstyles of the Greco-Roman World" & # 160Ancient History Et Cetera. & # 1609 de dezembro de 2015.
Dezembro de 2015: "Ancient Hairstyles Make a Statement" & # 160Greek News. 7 de dezembro de 2015. & # 160 (PDF)
Setembro de 2015: "Fairfield University and the Greek American Community" & # 160Greek News. & # 16021 de setembro de 2015. & # 160 (PDF)
Maio de 2015: "O corte de cabelo de Rachel de 2015? Os penteados dos antigos gregos ganham vida", The Independent, 26 de maio de 2015
Maio de 2015: "Como eles fizeram isso & # 8216do?" The Washington Post, 22 de maio de 2015
Março de 2015: "Living Stone Maidens: The Caryatid Hairstyles Project", Greek News, 8, 1 e 32 de março & # 160 (PDF)
Fevereiro de 2015: "Caryatids Come Alive at Greek Consulate," The National Herald, 28 de fevereiro e # 8211 6 de março de 2015, 4 e # 160 (PDF)
Verão de 2014: Estátuas gregas de 1602.500 anos brilham após o restauro. Geografia nacional.
Primavera de 2013: & # 160A saia azul. The Brearley Middle School Paper.
13 de janeiro de 2013: "Seis lindas donzelas: os Korai do Museu da Acrópole." Entrevista online e artigo com Marianthi Milona, ​​na Rádio Pública Nacional da Alemanha. Ouça & # 160online & # 160ou & # 160leia & # 160a transcrição.
7 de novembro de 2012: "Fórmula grega: Arqueólogo desvenda os antigos penteados da cariátide" no Greenwich Citizen
Primavera de 2012: & # 160A saia azul. Jornal da Brearley Middle School
9 de fevereiro de 2012: Entrevista com & # 160Bill Buschel & # 160on "Graffiti", para Hellenic Public Radio
17 de abril de 2011: & # 160Greek News
Fevereiro de 2011: ARTnews & # 160article & # 160 (PDF) e & # 160website
Maio-julho de 2010: & # 160Wandering Educator, & # 160The National Herald
14 de abril de 2010: Primeira página de & # 160To Vima & # 160em Atenas, Grécia
8 de abril de 2010: & # 160 Release de imprensa & # 160 da Fairfield University

1073 North Benson Road
Fairfield, Connecticut 06824
(203) 254-4000


O vidro em forma de Maria Antonieta e anatomia do # x27s

Como você bebe seu champanhe (esperamos que seja de uma taça!) - é uma taça de champanhe ou um cupê de champanhe? Hoje em dia, parece que a flauta se tornou o recipiente preferido para os vinhos espumantes, mas nem sempre foi assim. Antes que a flauta entrasse em cena, o cupê era a taça para champanhe. Esta pequena tigela ou vidro em forma de pires tem uma origem um tanto sórdida. Mas mesmo com seu passado, achamos que vale a pena olhar para um copo - e se você não tem nenhum, deve considerar a compra de um conjunto (veja nosso slideshow abaixo).

Diz a lenda que o copo do cupê foi moldado a partir do seio esquerdo de Maria Antonieta e que ela queria que sua corte brindasse à sua saúde bebendo em copos com o formato de seu seio. No entanto, a verdade é que o vidro foi inventado muito antes do reinado da rainha, em 1663 na Inglaterra. Foi um dos primeiros, senão a primeiro, copos inventados especificamente para beber champanhe. Então lá se vai esse mito. No entanto, há mais nesta história.

A história mostra que, de fato, Maria Antonieta tinha tigelas de porcelana moldadas em seu peito. Eles foram projetados para beber leite como parte de sua "Leiteira do Prazer", onde a rainha e suas damas de companhia se vestiam de leiteiras e se divertiam, ordenhando e batendo manteiga o dia todo em seu vilarejo de design rústico em Versalhes. Chamado Jattes Tetons, cada tigela com pés tinha um mamilo em seu nadir e era sustentada por três cabeças de cabra decorativas (as quatro tigelas originais ainda existem no Musée National de Céramique de Sèvres em Paris). Na época em que foram projetadas, a rainha estava muito voltada para a filosofia de volta à natureza. Her actions helped convince noblewomen breast-feed their babies instead of relying on wet nurses (that fact just makes the bowls seem even stranger!).

So, if we take this into account, it seems like someone must have confused the history of the Champagne coupe glass with the actuality of the milk bowls. But other women in history, including Madam du Pompadour, Madame du Barry, Empress Josephine (Napolean's wife), Diane de Poitiers, Helen of Troy and photographer Lee Miller have all been thought to have inspired breast-shaped glasses. (In 2008 Dom Perignon revealed a glass designed after model Claudia Schiffer's bosom.) So Marie Antoinette's was not the one and only bosom to be equated with the coupe glass, but no one knows for sure what shape actually inspired the inventor of the glass. Anyway it never was the right glass for sparkling wine -- the bubbles dissipate much too quickly with all that surface area leaving us with only the option of chugging or risking the Champagne going flat. But supposedly Champagne wasn't always as fizzy as it is now.

No matter who inspired the coupe glass, it's safe to say its infamy keeps it popular to this day. Especially in the 1930s prohibition-era and in the 1960s, the coupe glass reigned as the choice for sparkling wine even if its design wasn't ideal. With TV shows like "Mad Men" and "Boardwalk Empire," old-fashioned drinks and drinking glasses have been making a comeback. Just stop by any trendy bar in New York City (or any other metropolis) and you'll find cocktails served in the coupe glass. Though the Martini glass with its conical shape has been the choice cocktail glass for quite some time, the coupe is now preferred because it's easier to hold and maneuver without sloshing your beverage everywhere. Its petite size and rounded design is perfect for holding a drink even when you're tipsy. The bottom line is we don't care if it's shaped like a breast -- we just like drinking from it!

What do you think of the coupe glass? Deixe-nos saber abaixo.


CARYATID by Jessica Ziakin Cook

  • />Porch of the Caryatids iii, 14吇, graphite and ink on paper
  • />Porch of the Caryatids iv, 10吉.5, graphite and ink on paper
  • />Porch of the Caryatids v, 6࡭, ink on paper
  • />Porch of the Caryatids vi, 14吇, graphite and ink on paper
  • />Porch of the Caryatids vii, 8࡬.5, graphite and ink on paper
  • />Porch of the Caryatids viii, 9࡭.5, graphite and ink on paper
  • />Porch of the Caryatids ix, 14吇, ink on paper
  • />Porch of the Caryatids x, 11吊, graphite, ink and chalk on paper
  • />Porch of the Caryatids xi, 10.5吋, graphite and ink on paper
  • />Porch of the Caryatids xii, 10吋, graphite, ink and chalk on paper
  • />Porch of the Caryatids xiii, 7吆, graphite and ink on paper
  • />Porch of the Caryatids xiv, 14吇, graphite and chalk on paper
  • />Porch of the Caryatids ii, 22吚, graphite on paper
  • />Athena Supporting Atlas, 11吊, graphite and ink on paper
  • />Waterbearers, 14吇, graphite on paper
  • Nike of Samothrace i, 15 x13.5 (irregular), graphite and ink on paper
  • />Nike of Samothrace ii, 28吇 (diptych), ink on paper
  • />Nike of Samothrace iii, 14吇, chalk and ink on paper
  • />Nike of Samothrace iv, 11吘 (diptych), ink on paper, J. Z. Cook

Thank you for viewing CARYATID, a digital exhibition by Jessica Ziakin Cook. We hope you enjoyed it as much as we did. Please stay tuned for new exhibitions coming soon.


Caryatid(e)

caryatid(e) (pl. caryatid(e)s). Carved, draped, straight, standing female figure (cora), supporting on its head an astragal (enriched with bead-and-reel), ovolo (enriched with egg-and-dart), and square abacus, used as a substitute for a column, and supporting an entablature. The best-known example of the use of caryatids in Greek Antiquity was the south porch of the Erechtheion, Athens (c.421� bc), where six figures supported the roof. A similar draped female figure with a basket-like form over the head instead of the astragal-ovolo-abacus capital arrangement is a canephora (pl. canephorae). See atlas, herm, persian, telamon, term.

Cite este artigo
Escolha um estilo abaixo e copie o texto para sua bibliografia.

JAMES STEVENS CURL "caryatid(e) ." Um Dicionário de Arquitetura e Arquitetura Paisagista. . Encyclopedia.com. 17 Jun. 2021 < https://www.encyclopedia.com > .

JAMES STEVENS CURL "caryatid(e) ." Um Dicionário de Arquitetura e Arquitetura Paisagista. . Encyclopedia.com. (June 17, 2021). https://www.encyclopedia.com/education/dictionaries-thesauruses-pictures-and-press-releases/caryatide

JAMES STEVENS CURL "caryatid(e) ." Um Dicionário de Arquitetura e Arquitetura Paisagista. . Retrieved June 17, 2021 from Encyclopedia.com: https://www.encyclopedia.com/education/dictionaries-thesauruses-pictures-and-press-releases/caryatide

Estilos de citação

A Encyclopedia.com oferece a capacidade de citar entradas e artigos de referência de acordo com estilos comuns da Modern Language Association (MLA), do Chicago Manual of Style e da American Psychological Association (APA).

Na ferramenta “Citar este artigo”, escolha um estilo para ver a aparência de todas as informações disponíveis quando formatadas de acordo com esse estilo. Em seguida, copie e cole o texto em sua bibliografia ou lista de obras citadas.


House Appeal

Art and architecture. UMA Caryatid in architecture is described as “A stone carving of a draped female figure, used as a pillar to support the entablature of a Greek or Greek-style building”. Taking the place of a column or pillar, the Greek term Karyatides is literally said to mean “Maidens of Karyai”, an ancient town of Peloponnese in which a temple was dedicated to a goddess known as Artemis. Mythology paired with architecture, indeed.


“As Karyatis, she rejoiced in the dances of the nut-tree village of Karyai, those Karyatides, who in their ecstatic round-dance carried on their heads baskets of live reeds, as if they were dancing plants”
-Unknown

Caryatids In Ancient Architecture

Since ancient times buildings have been designed with female figures as supporting columns. Sculpture fitted to a structure. Some of the earliest known examples date from around the 6th century BC in Greece at the treasuries of Delphi. The use of these draped female figures used as architectural supports can certainly be traced back to Greek antiquity. Alas, the bulky yet intricately arranged hairstyles served the crucial purpose of providing key structural support to their necks, which would otherwise be the structurally weakest part of the figure. Of note, a Caryatid supporting a basket on her head is called a canephora (“basket-bearer”). Form and function, indeed…

Ancient Form: The Caryatid Of The Erechtheion

The most iconic and perhaps most-copied Caryatid examples are the carved six figures of the Caryatid Porch of the Erechtheion (409 BC) referred to as ‘The Venerable Temple’ no Acropolis of Athens, Greece. Of note, the originals have been replaced onsite by replicas, but the original ancient forms of stately pose are on exhibit within the Acropolis Museum with one removed during the early 19th century, residing in England’s Museu Britânico em Londres. Ancient history preserved. Of additional interest, these six Caryatids are não identical. Rather, although they are the same in build and height and similar in attire and coiffed hair, their faces, stance, a draping of fabric and hair are said to have been carved separately. Interessante. In addition, three of the caryatids stand on their right foot and the other three stand on their left foot. Architectural differences of distinction. Of course, the Romans would copy these Erecteion caryatids, installing their own copies in the Forum of Augustus E no panteão in Rome, among other great structures. Great architecture will sempre be revered.

Esses draped figures of stone, often supporting acanthus baskets, visually hold the weight of architecture above them e enduringly offer a tribute to the female form and the link to the ancient past. Perhaps one can view these figures a symbol of strength and beauty. For certain, the implications of these figures and their representations in ancient times can take on a deeper role. Perhaps the search for meaning of sculpture and architecture as a united force of art can offer many interpretations. Esses load-bearing forms of the structures estão an art form that will endure to inspire. For the purpose of appreciation of the beauty of the architecture and the form itself of these female figures, a mere collection of images, sourced from the world wide web, will hopefully bring further appreciation to the timeless form of architectural beauty….

Architectural Supports Of Ancient Distinction: Caryatids Draped Figures Of Ancient Appeal: Caryatid Architectural Form & Function Of The Female Form Caryatids: Elements Of History & Form Form & Function Of Ancient Architectural Beauty: Caryatids Architectural Supports Of Distinction: Caryatids Art & Architecture: Caryatids Caryatids: The Female Form Of Enduring Appeal Architectural Interpretations Of Ancient Form: Caryatids Emblems Of Beauty & Strength: Caryatids In Architecture Caryatids In Architecture: Form & Function Architectural Delights: Caryatids Within Architecture Female Form: Representations Of Caryatids In The Garden Ancient Forms Enduring In Architectural Appeal: Caryatids Caryatids Of Diverse Form & Function Caryatids/Macy’s/New York/ 34th Street

And of the statuesque figures of female form that are found within the interior? Certain resemblances and links to ancient past, for certain. Appreciation of the artistic representation of historic significance, indeed.

In Early Modern times, the practice of integrating caryatids into building facades was revived. The world of Art Deco architecture would certainly embrace the forms of antiquity. Within interiors these forms of sculpture would begin to be included as new features of building structures and within the world of interior decoration. For certain, the beauty of the female figure in architecture detém enduring allure to the world that surrounds which continually changes and evolves. Appreciation…

Female Caryatid Representations: Statues Within The Interior

My appreciation of the beauty of the architectural details of the beautiful form of antiquity is not new. Carved and sculpted details of architectural wonder. Yet of my renewed and focussed appreciation, perhaps the urge to visually share came by way of an unexpected surprise. And it all started with a statue…

Female Form Of Greek Mythology: Aphrodite

On a whim I stopped into a local antique store when I suddenly spotted her. It was immediate that I was drawn to the ancient emblem of antiquity and classic form. Found amidst other elements of the past, I simply teve to acquire. An alabaster figure that now graces my dresser and stands boldly and beautifully among my personal accessories of fashion and fragrances that layer. Talvez como a reminder of the beauty of the past and an appreciation of the enduring appeal of the figure of the woman

Representation Of Ancient Appeal: A Caryatid Within My Interior…

Within the history of fashion and the arts, the iconic architectural sculptures of antiquity have certainly been an inspiration of timeless appeal…

Caryatids & Modern Dance Icon Isadora Duncan (1877-1927) Christian Dior/1951 Models & Caryatids: Fashion’s Form & Function Fashionable Representations Of The Caryatid Form

Consider with appreciation the forms of antiquity naquela grace the structures that fill our world. Look closer and appreciate the ancient past that carries with it an enduring visual acknowledgement of form and function. Whether carved in the round or in relief or frieze or crowning a pediment with grace, there is beauty to be found within the past world that carries with it into our future an enduring emblem of the past

“Now here we have another emotional symbol… for almost three thousand years or longer, architects have designed buildings with columns shaped as female figures… After all those centuries it took Rodin to see that this was work too heavy for a girl… Here is this poor little caryatid who has tried — and failed, fallen under the load…. She didn’t give up, Ben she’s still trying to lift that stone after it has crushed her…”
-Robert Heinlein (1907-1988)”Stranger in a Strange Land”

“…Like a caryatid on vacation. He was supporting nothing but his daydreams”
-Victor Hugo, Les Miserables

Female Forms Of Caryatid Representation


Archaeologists have unearthed two sculpted female figures, known as Caryatids, as they slowly make their way into an ancient tomb recently discovered in Greece's northeast, the country's culture ministry said on Sunday. They mark a significant new finding in the tomb on the Amphipolis site, which archaeologists have hailed as a major discovery from the era of Alexander the Great.

The ministry said the Caryatids, with thick curls covering their shoulders, support an inner entrance into a tomb chamber. They feature the same sculpting technique used for the heads and wings of two sphinxes found guarding the main entrance of the tomb in August. "The structure of the second entrance with the Caryatids is an important finding, which supports the view that it is a prominent monument of great importance," the ministry said.


Caryatid

Caryatid is the name given to an architectural column which takes the form of a standing female figure. The first examples come from ancient Greek architecture and indeed, the most celebrated examples are found in the south porch of the Erechtheion on the acropolis of Athens.

Naming & Origins

The term Caryatid first appears in the 4th century BCE and was coined by Vitruvius in reference to Karyai in Laconia where women often danced balancing a basket on their heads in honour of Artemis and where Caryatids were used in Archaic architecture. They were an evolution of the earlier korai statues of both male and female figures prevalent throughout the Archaic period and used as columns in Ionian architecture. These were themselves an evolution of Persian columns which often employed animal figures within the column design.

Propaganda

Archaic Caryatids were usually used in the porches of Treasury buildings which were built to house offerings from specific states at religious sanctuaries such as Delphi and Olympia. The most important treasury at Delphi was from the Siphnians (c. 525 BCE) and this and at least two other treasuries had Caryatids. Caryatids of this period often have a short column drum above the head in order to facilitate the join with the column capital.

O Erechtheion

The most famous Caryatids are the six which support the roof of the false south porch of the Erechtheion on the Athenian acropolis. This building was constructed between 421 and 406 BCE as part of Pericles' great project to rejuvenate the architecture of the great city. The Erechtheion was built to house the ancient wooden cult statue of Athena but also served as a centre for the cults of Erechtheus (a mythical king of Athens), his brother Boutes, Hephaistos and Poseidon. The Caryatids display features which would become staple elements of Classical sculpture: clothes which cling to the body (the 'wet look') and a bold and more dynamic positioning of the hips and legs. Although each Caryatid wears the same robe - a belted Doric peplos and short himation - each is uniquely rendered, a feature particularly noticeable in their intricate plaited hairstyles (best seen from the rear). The arms of the figures have unfortunately been lost but Roman copies show them holding in their right hands phialai - shallow vessels for pouring libations - whilst their left hand raised slightly their robe. Scholars believe them to be carved by different artists, most probably from the workshop of Alcamenes, student and colleague of Phidias.

Propaganda

Interestingly, the porch of the Erechtheion stands over what was believed to be the tomb of the mythical king Kekrops and perhaps the Caryatids and their libation vessels are a tribute to this fact - libations were poured into the ground as an offering to the dead. The Caryatids now on the acropolis are copies, five of the originals reside in the Acropolis Museum of Athens and the other is in the British Museum, London.



Comentários:

  1. Gyasi

    E é analógico?

  2. Everardo

    Peço desculpas por não poder ajudar com nada. Espero que você ajude aqui. Não se desespere.

  3. Kovar

    Peço desculpas por estar interrompendo você, também gostaria de expressar minha opinião.

  4. Apsel

    Esta é uma frase muito valiosa

  5. Kavian

    Sua postagem me fez pensar * para pensar muito * ...

  6. Tumi

    Eu parabenizo, que palavras necessárias ..., pensamento notável



Escreve uma mensagem