Podcasts de história

Quando a rota da seda estava ativa?

Quando a rota da seda estava ativa?


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Procurei, mas não encontrei uma resposta em particular. Eu não queria a hora em que fosse encontrado. Eu sei que o Silk Route é datado de 2 aC (pelo que li), mas quando foi o mais ativo?

Obrigado !


De cerca de 200 aC a 1453.

"A Rota da Seda deriva seu nome do lucrativo comércio de seda chinesa realizado ao longo de sua extensão, começando durante a dinastia Han (207 aC - 220 dC)." wikipedia

"A Rota da Seda parou de servir como rota de envio de seda por volta de 1453 com a supremacia otomana em Constantinopla." wikipedia


A Rota da Seda existiu por volta de 220 aC (o estabelecimento da dinastia Han) a 1453 dC (a queda de Constantinopla), mas foi ativo por períodos de tempo muito mais curtos, em dois subperíodos, sob as dinastias Tang e Yuan.

A Dinastia Tang (630-760). Este não é todo o período da Dinastia Tang (618-907), mas apenas seu apogeu. Durante o zênite, os Tang subjugaram tribos problemáticas ao oeste (por exemplo, os turcos) ou mantiveram boas relações com eles (os tibetanos). E os Tang estavam interessados ​​em conectar o "leste" ao "oeste" da China. Como resultado, os bens comerciais desfrutaram de uma passagem relativamente segura do moderno norte da China, através do moderno Turquestão e Tibete e norte da Índia, até a Pérsia e a Arábia. Posteriormente a 760, cada vez mais a "rota da seda" caiu sob poderes hostis, até que por volta de 900, a dinastia Tang controlou muito pouco dela.

A Dinastia Yuan (1271 - início da década de 1360). Kublai Khan finalmente conseguiu controlar toda a China. Seu avô, Ghengis Khan, já havia conquistado possessões turcas, persas e ucranianas a oeste, estendendo a estrada da seda até a Europa oriental (por exemplo, a moderna Ucrânia), todas governadas por outros membros da "família". Esse controle durou até a Revolução Ming de 1368.


Ativo: Do ​​Século II AC ao Século I DC Localização: Da Ásia à Europa passando pela China, Cazaquistão, Quirguistão, Tadjiquistão, Uzbequistão, Turcomenistão, Afeganistão, Irã, Iraque, Turquia, Grécia e Itália. Regiões chinesas ao longo da rota: Shaanxi, Gansu, Qinghai, Xinjiang


O Império Han travou uma grande guerra com o povo nômade Xiongnu, e a Dinastia Han queria grandes cavalos de guerra do Vale Fergana para sua cavalaria cavalgar para derrotar seus inimigos.

A principal rota da seda se ramificava em Dunhuang. Clique para mais mapas do Silk Road.
  • A principal Rota da Seda ia da capital da China através da Ásia Central para a Europa,
  • um ramo sul passou pelas montanhas Karakorum,
  • um ramo do norte foi para a Rússia e depois para o oeste, passou pelo Tibete até a Índia e foi via mares para o Oriente Médio e a Europa.

A Rota da Seda: conectando a China com o ensaio do Mediterrâneo

A Rota da Seda, uma série de passagens que conectam a China ao Mediterrâneo, mudou completamente o mundo. Essas rotas comerciais permitiram o avanço da tecnologia e da diversidade cultural como nunca antes visto. Essas rotas conectavam muitas civilizações diferentes, permitindo a troca de bens e idéias. Essa variedade de nacionalidades fez dela uma “Ponte Cultural entre a Ásia e a Europa. "Antes que essas vias fossem estabelecidas, o comércio era quase impossível, devido às condições extremas do deserto e


Conteúdo

Edição de Operações

A Rota da Seda foi fundada em fevereiro de 2011. [19] O nome "Rota da Seda" vem de uma rede histórica de rotas comerciais iniciadas durante a Dinastia Han (206 aC - 220 dC) entre a Europa, Índia, China e muitos outros países do Massa terrestre afro-euro-asiática. [7] O Silk Road foi operado pelo pseudônimo "Dread Pirate Roberts" (em homenagem ao personagem fictício de A noiva princesa), que era conhecido por defender ideais libertários e criticar a regulamentação. [3] [20] Dois outros indivíduos também estiveram intimamente envolvidos no crescimento e sucesso do site, conhecidos como Variety Jones e Smedley. [21]

Em junho de 2011, Gawker publicou um artigo sobre o site [22] que levou a um aumento da notoriedade e do tráfego do site. [9] O senador norte-americano Charles Schumer pediu às autoridades policiais federais que o fechassem, incluindo a Drug Enforcement Administration (DEA) e o Departamento de Justiça. [23]

Em maio de 2013, o Silk Road foi retirado do ar por um curto período de tempo por um ataque DDoS contínuo. [24] Em 23 de junho de 2013, foi relatado pela primeira vez que a DEA apreendeu 11,02 bitcoins, então com um valor total de $ 814, que a mídia suspeitou ser o resultado de uma picada de honeypot do Silk Road. [25] [26] [27] O FBI alegou que o endereço IP real do servidor do Silk Road foi encontrado por meio de dados vazados diretamente do CAPTCHA do site e estava localizado em Reykjavík, Islândia. [28] [29]

Henry Farrell, um professor associado de ciência política e assuntos internacionais na George Washington University, analisou o Silk Road em um ensaio para a Aeon em 2015. [30] Ele observou que Ulbricht criou o mercado para funcionar sem supervisão do governo, mas achou difícil verificar o anonimato transações. Para sustentar um fluxo constante de receita, ele começou a aumentar a supervisão para garantir baixos custos de transação. Para fazer isso, ele acrescentou medidas para garantir a confiabilidade com a implementação de um sistema automatizado de pagamento em depósito e sistema automatizado de revisão. [ citação necessária ]

Prisão e julgamento de Ross Ulbricht Editar

Devido, em parte, à pesquisa fora de serviço conduzida pelo investigador criminal do IRS Gary Alford, [31] Ross Ulbricht foi acusado pelo FBI de ser o fundador e proprietário do Silk Road e a pessoa por trás do pseudônimo "Dread Pirate Roberts" (DPR ) Ele foi preso em 2 de outubro de 2013 em São Francisco [14] [32] [33] [34] às 15h15. PDT [35] na Biblioteca Glen Park, uma filial da Biblioteca Pública de São Francisco. [35] Ulbricht foi indiciado por acusações de lavagem de dinheiro, hacking de computador, conspiração para tráfico de entorpecentes, [35] [36] e tentativa de matar seis pessoas. [37] Os promotores alegaram que Ulbricht pagou US $ 730.000 a outros para cometer os assassinatos, embora nenhum dos assassinatos realmente tenha ocorrido. [37] [38] Ulbricht finalmente não foi processado por nenhuma das supostas tentativas de assassinato. [39]

O FBI inicialmente apreendeu 26.000 bitcoins de contas no Silk Road, no valor de aproximadamente US $ 3,6 milhões na época. Um porta-voz do FBI disse que a agência manteria os bitcoins até o fim do julgamento de Ulbricht, após o qual os bitcoins seriam liquidados. [40] Em outubro de 2013, o FBI relatou que apreendeu 144.000 bitcoins, no valor de $ 28,5 milhões, e que os bitcoins pertenciam a Ulbricht. [41] Em 27 de junho de 2014, o U.S. Marshals Service vendeu 29.657 bitcoins em 10 blocos em um leilão online, estimado em $ 18 milhões a taxas contemporâneas e apenas cerca de um quarto dos bitcoins apreendidos. Outros 144.342 bitcoins foram mantidos, os quais foram encontrados no computador de Ulbricht, cerca de US $ 87 milhões. [42] Tim Draper comprou os bitcoins no leilão com um valor estimado de $ 17 milhões, para emprestá-los a uma start-up de bitcoins chamada Vaurum, que está trabalhando em economias em desenvolvimento de mercados emergentes. [43]

O julgamento de Ulbricht começou em 13 de janeiro de 2015 no tribunal federal de Manhattan. [44] No início do julgamento, Ulbricht admitiu ter fundado o site do Silk Road, mas afirmou ter transferido o controle do site para outras pessoas logo depois de fundá-lo. [45] Os advogados de Ulbricht argumentaram que Dread Pirate Roberts era na verdade Mark Karpelès, e que Karpelès configurou Ulbricht como um bode expiatório. [46] No entanto, a juíza Katherine B. Forrest decidiu que quaisquer declarações especulativas sobre se Karpelès ou qualquer outra pessoa dirigia o Silk Road não seriam permitidas, e as declarações já feitas seriam eliminadas do registro. [47]

Na segunda semana do julgamento, os promotores apresentaram documentos e registros de bate-papo do computador de Ulbricht que, segundo eles, demonstraram como Ulbricht administrou o site por muitos meses, o que contradiz a alegação da defesa de que Ulbricht havia renunciado ao controle do Silk Road. O advogado de Ulbricht sugeriu que os documentos e logs de bate-papo foram plantados lá por meio do BitTorrent, que estava em execução no computador de Ulbricht no momento de sua prisão. [47]

Em 4 de fevereiro de 2015, o júri condenou Ulbricht por sete acusações, [17] incluindo acusações de envolvimento em uma empresa criminosa contínua, tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e hacking de computador. Ele enfrentou 30 anos de prisão perpétua. [1] [2] O governo também acusou Ulbricht de pagar pelos assassinatos de pelo menos cinco pessoas, mas não há evidências de que os assassinatos foram realmente realizados, e as acusações nunca se tornaram acusações formais contra Ulbricht. [48] ​​[49]

Durante o julgamento, o juiz Forrest recebeu ameaças de morte. [38] Os usuários de um site clandestino chamado The Hidden Wiki postaram suas informações pessoais lá, incluindo seu endereço e número do Seguro Social. O advogado de Ulbricht, Joshua Dratel, disse que ele e seu cliente "obviamente, e com a maior veemência possível, condenam" as postagens anônimas contra o juiz. "Eles não têm nada a ver com Ross Ulbricht ou qualquer pessoa associada a ele ou refletem suas opiniões ou de qualquer pessoa associada a ele", disse Dratel. [50]

No final de março de 2015, uma queixa criminal emitida pelo Tribunal Distrital dos Estados Unidos para o Distrito Norte da Califórnia levou à prisão de dois ex-agentes federais que trabalharam disfarçados na investigação do Baltimore Silk Road de Ulbricht, ex-agente da Drug Enforcement Administration Carl Mark Força IV e o agente do Serviço Secreto Shaun Bridges. [51] [52] Os agentes teriam mantido fundos que Ulbricht transferiu a eles em troca de supostas informações sobre a investigação. [51] [53] Os agentes foram acusados ​​de fraude eletrônica e lavagem de dinheiro. [54] No final de novembro de 2016, os advogados de Ulbricht apresentaram um caso sobre um terceiro agente da DEA, que eles afirmam estar vazando informações sobre a investigação e adulterando evidências para omitir logs de bate-papo mostrando conversas com ele. [55]

Em uma carta ao juiz Forrest antes de sua sentença, Ulbricht afirmou que suas ações por meio do Silk Road foram cometidas por meio do idealismo libertário e que "o objetivo do Silk Road era dar às pessoas a liberdade de fazerem suas próprias escolhas" e admitiu que fez uma " erro terrível "que" arruinou sua vida ". [56] [57] Em 29 de maio de 2015, Ulbricht foi condenado a cinco sentenças a serem cumpridas simultaneamente, incluindo duas de prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional. [58] Ele também foi condenado a perder $ 183 milhões. O advogado de Ulbricht, Joshua Dratel, disse que apelaria da sentença e do veredicto original de culpado. [48] ​​Em 31 de maio de 2017, o Tribunal de Recursos do Segundo Circuito dos Estados Unidos negou o recurso de Ulbricht e confirmou o julgamento da condenação e da prisão perpétua, em uma opinião escrita de autoria de Gerard E. Lynch, juiz de circuito dos Estados Unidos. [59] A Suprema Corte se recusou a revisar o caso. [60]

Outros ensaios Editar

Em fevereiro de 2013, um traficante australiano de cocaína e MDMA ("ecstasy") se tornou a primeira pessoa a ser condenada por crimes diretamente relacionados ao Silk Road, depois que as autoridades interceptaram drogas que ele importava pelo correio, revistaram suas instalações e descobriram sua seda Alias ​​de estrada em um arquivo de imagem em seu computador pessoal. [61] A polícia australiana e a DEA têm como alvo os usuários do Silk Road e feito prisões, embora com sucesso limitado em chegar a condenações. [22] [62] [63] Em dezembro de 2013, um homem da Nova Zelândia foi condenado a dois anos e quatro meses de prisão após ser condenado por importar 15 gramas de metanfetamina que comprou no Silk Road. [64]

Cornelis Jan "Maikel" Slomp [65], traficante de drogas holandês de 23 anos, se confessou culpado de venda em grande escala de drogas pelo site do Silk Road e foi condenado em Chicago a 10 anos de prisão em 29 de maio de 2015 com seu advogado, Paul Petruzzi, presente. [66] [67] O traficante Steven Sadler foi condenado a cinco anos de prisão. Houve mais de 130 outras prisões relacionadas ao Silk Road, embora algumas dessas prisões possam não estar diretamente relacionadas ao Silk Road e podem não ser informações públicas por motivos legais. [68] [69] [70]

Editar crises posteriores

Em 3 de novembro de 2020, após anos de inatividade, observadores do blockchain de bitcoin detectaram que duas transações totalizando 69.370 bitcoin e bitcoin em dinheiro, [71] no valor de aproximadamente $ 1 bilhão no total no momento da transferência, foram feitas a partir de um endereço de bitcoin associado a a Rota da Seda. [72] No momento da transferência, valia 58 vezes seu valor em 2015. [73] Posteriormente, foi revelado que a transferência havia sido feita pelo governo dos Estados Unidos em uma ação de confisco civil. [74] De acordo com um comunicado de imprensa do Gabinete do Procurador dos EUA do Distrito Norte da Califórnia, a carteira bitcoin pertencia a um "Indivíduo X" que originalmente adquiriu os bitcoins hackeando o Silk Road. [75]

Em março de 2013, o site tinha 10.000 produtos à venda por vendedores, 70% dos quais eram medicamentos. [22] [76] As drogas foram agrupadas sob os títulos estimulantes, psicodélicos, prescrição, precursores, outros, opióides, ecstasy, dissociativos e esteróides / PEDs. [9] [19] [77] [78] Carteiras de motorista falsas também foram colocadas à venda. [79] Os termos de serviço do site proibiam a venda de certos itens. Quando o mercado do Silk Road começou, o criador e os administradores instituíram termos de serviço que proibiam a venda de qualquer coisa cujo objetivo fosse "prejudicar ou fraudar". [19] [80] Isso incluía pornografia infantil, cartões de crédito roubados, assassinatos e armas de qualquer tipo, outros mercados de darknet, como o Black Market Reloaded, ganharam notoriedade do usuário porque não eram tão restritivos a esses itens como as encarnações do Silk Road. [76] [81] Também havia bens e serviços jurídicos à venda, como roupas, arte, livros, cigarros, erotismo, joias e serviços de redação. Um site irmão, chamado "The Armory", vendeu armas (principalmente armas de fogo) durante 2012, mas foi fechado por falta de demanda. [82]

Os compradores puderam deixar comentários sobre os produtos dos vendedores no site e em um fórum associado, onde o crowdsourcing forneceu informações sobre os mais vendidos e os piores golpistas. [83] A maioria dos produtos era entregue pelo correio, com o guia do vendedor do site instruindo os vendedores como selar a vácuo seus produtos para escapar da detecção. [84]

Com base nos dados de 3 de fevereiro de 2012 a 24 de julho de 2012, cerca de US $ 15 milhões em transações foram feitas anualmente no Silk Road. [85] [86] Doze meses depois, Nicolas Christin, o autor do estudo, disse em uma entrevista que um grande aumento no volume para "algo entre $ 30 milhões e $ 45 milhões" não o surpreenderia. [87] Compradores e vendedores conduziram todas as transações com bitcoins (BTC), uma criptomoeda que fornece um certo grau de anonimato. [88] O Silk Road mantinha os bitcoins dos compradores sob custódia até que o pedido fosse recebido e um mecanismo de hedge permitia aos vendedores optarem que o valor dos bitcoins mantidos em custódia fosse fixado em seu valor em US $ no momento da venda para mitigar contra a volatilidade do Bitcoin. Quaisquer mudanças no preço dos bitcoins durante o trânsito foram cobertas pelo Dread Pirate Roberts. [89]

A reclamação publicada quando Ulbricht foi preso incluía informações que o FBI obteve de uma imagem do sistema do servidor do Silk Road coletada em 23 de julho de 2013. Ele observou que, "De 6 de fevereiro de 2011 a 23 de julho de 2013, houve aproximadamente 1.229.465 transações concluídas no site. A receita total gerada por essas vendas foi de 9.519.664 Bitcoins, e as comissões totais coletadas pelo Silk Road com as vendas totalizaram 614.305 Bitcoins. De acordo com o governo, as vendas totais foram equivalentes a cerca de US $ 183 milhões e envolveram 146.946 compradores e 3.877 vendedores. [90] [14] De acordo com as informações que os usuários forneceram no registro, 30 por cento eram dos Estados Unidos, 27 por cento optaram por ser "não declarados" e, além disso, em ordem decrescente de prevalência: Reino Unido, Austrália, Alemanha, Canadá , Suécia, França, Rússia, Itália e Holanda. Durante o período de 60 dias, de 24 de maio a 23 de julho, houve 1.217.218 mensagens enviadas pelo sistema de mensagens privadas do Silk Road. [ 14]

O Farmer's Market era um site Tor semelhante ao Silk Road, mas que não usava bitcoins. [91] Foi considerado um 'proto-Silk Road', mas o uso de serviços de pagamento como PayPal e Western Union permitiu que a polícia rastreasse os pagamentos e foi posteriormente encerrado pelo FBI em 2012. [83] [92] [93] Outros sites já existiam quando o Silk Road foi fechado e O guardião previu que isso iria dominar o mercado que o Silk Road anteriormente dominava. [94] [95] Locais chamados 'Atlantis', fechando em setembro de 2013, e Projeto Bandeira Negra, encerrando em outubro de 2013, cada um roubou os bitcoins de seus usuários. [15] Em outubro de 2013, o site denominado Mercado negro recarregado fechado temporariamente depois que o código-fonte do site vazou. [15] As participações de mercado de vários sites sucessores do Silk Road foram descritas por O economista em maio de 2015. [96]

Em 3 de maio de 2019, um site semelhante foi fechado e três homens alemães foram presos pelo FBI e por agentes da DEA. O site, chamado Wall Street Market, permitiu a venda ilegal de drogas e documentos falsos, como carteiras de motorista. [97]

O Silk Road tinha um clube do livro baseado em Tor que continuou a operar após o fechamento inicial do site e até mesmo após a prisão de um de seus membros. O material de leitura incluiu teorias da conspiração e hacking de computador. Alguns dos títulos incluíam livros convencionais, bem como livros como The Anarchist Cookbook e Derrotando fechaduras eletromagnéticas. A maioria dos títulos deste clube do livro era pirateada. Este clube do livro ainda existe como uma sala de bate-papo privada baseada no Tor. [98] [99]


Silk by Sea

Finalmente, pode-se observar que também havia uma Rota da Seda marítima, que ligava a China ao Ocidente através do Sudeste Asiático, a Índia e a Península Arábica. Como os mercadores da Rota da Seda terrestre, aqueles que percorriam essa rota também estavam à mercê das forças da natureza, especialmente tempestades altamente imprevisíveis. Além disso, os piratas que navegavam nos oceanos também eram uma ameaça para os viajantes, assim como os bandidos do deserto o eram para os seus homólogos terrestres.

Imagem superior: representação do século 14 de uma caravana de camelos na Rota da Seda. Fonte: Domínio público


A história da Cadeia de Suprimentos, da Rota da Seda à Globalização

O comércio tem sido eminente desde o início dos tempos. Evoluiu de uma forma muito básica na Idade da Pedra, passando pelo comércio de mercadorias por moedas durante os tempos gregos e romanos, para o comércio com ações e títulos na Idade Moderna. Não apenas a forma de negociação mudou, mas também houve muitos desenvolvimentos históricos dentro das eras individuais.

O comércio, a princípio, limitava-se à sua localidade, mas com o passar do tempo evoluiu para o comércio global, do qual hoje participam quase todas as nações.

O comércio sempre foi influenciado pelos hábitos de compra e venda das pessoas. Principalmente durante a Idade Moderna, a diferença entre comprar e vender apenas descreve as diversas perspectivas no aspecto da compra. Os termos cadeia de mantimentos e Comprasforam usados ​​pela primeira vez no século 20 e são um reflexo do comércio em geral. Com a globalização, esses termos estão sendo usados ​​cada vez com mais frequência no mundo dos negócios.

Portanto, a globalização tem um grande impacto na economia mundial, especialmente em tempos de crise econômica.

Durante os tempos atuais, a globalização está sob muita pressão, devido às mudanças nas regulamentações alfandegárias e acordos comerciais dentro dos países (por exemplo, EUA, China), bem como mudanças nas áreas de mercado (Brexit, NAFTA). Posteriormente, examinaremos a evolução da cadeia de suprimentos.

Exame do comércio de diferentes perspectivas

Olhando para o mapa-múndi, ainda é possível diferenciar entre zonas de negociação individuais. As maiores áreas comerciais foram a Europa e a Ásia por muitos anos - e depois de sua descoberta, as Américas. Com a expansão do Império Britânico, mais zonas comerciais, como Austrália e África, foram adicionadas; no entanto, essas não desempenharam um papel significativo.

As zonas comerciais europeia e asiática existiam individualmente, uma ao lado da outra. Embora fossem sistemas fechados no início, eles expandiram seu comércio e, eventualmente, após o Primeiro Milênio, começaram a comercializar uns com os outros, devido às mudanças nas demandas de seu povo.

O início do comércio, em particular, o chamado cadeia de mantimentos foi visto pela primeira vez com os fenícios.

A expansão do comércio e, portanto, tornou-se um império comercial no segundo milênio AC. Devido a este fato, os negócios comerciais na região do Mediterrâneo também aumentaram. Metais, como minérios e tintas, eram o principal produto comercial da época.

De 800 aC em diante, a base comercial de Cartago desenvolveu-se em seu próprio império. Essa expansão impediu a ascensão do Império Romano 600 anos depois e tornou-se seu antipólo.

Após o estabelecimento de Roma no ano 753 aC, o rápido desenvolvimento do Império Romano dificilmente poderia ser interrompido.

Não apenas o Império Romano se expandiu, mas também o Império Grego floresceu. Devido à sua idade e história, o império grego estava vários anos à frente do império romano em seu desenvolvimento.

Na Grécia antiga, o comércio foi muito influenciado pelo estabelecimento da Liga de Delos, no ano 478 aC. Esta liga foi estabelecida pela primeira vez para defender os polos gregos contra os persas, mas expandiu seu comércio para as cidades-estados individuais. Por meio desse novo desenvolvimento, a segurança dentro dos próprios estados aumentou.

Com a unificação da China durante a Dinastia Han, um grande novo império surgiu. Isso permitiu que o império tivesse uma recuperação econômica a partir do ano 200 a.C. avante. A partir dessa época, havia comércio terrestre regular entre a China e a área do Mediterrâneo Oriental. Esta rota passou pela Ásia Central. Além disso, havia comércio exterior entre Marrocos, Japão e China.

No entanto, o comércio dos bens adquiridos e, em seguida, a transferência através da Rota da Seda, bem como as vendas ao longo da Rota da Seda foram muito mais importantes. A estrada conectava as altas culturas da Pérsia, Índia e China, e se integrava nas respectivas áreas culturais entre si, sem formar uma área cultural homogênea. No entanto, vários níveis de vegetação diferentes foram atravessados, desde o planalto persa oriental até o deserto de Gobi. O curso da Rota da Seda foi determinado pela localização das cidades-oásis. A leste de Kashgar, a Rota da Seda se dividia em uma rota ao sul e outra ao norte.

Com a expansão do Império Romano, os tratados comerciais dentro do império foram definidos novamente. O rápido crescimento da Europa tornou necessária uma extensão estruturada do sistema rodoviário para fornecer os meios para um comércio regular. Principalmente bens de luxo, como especiarias e cerâmicas, eram transportados nele. A aristocracia romana, nas províncias conquistadas, dependia totalmente desse comércio de longa distância.

A queda e a separação resultante do Império Romano em 395 DC significou um declínio cultural da Europa como um todo. O Império Bizantino, formalmente conhecido como Império Romano Oriental, preservou o sistema de estradas, enquanto ele decaiu durante o reinado do Império Romano Ocidental. Essa decadência levou a um aumento de roubos por vagabundos e saqueadores. Portanto, a taxa de criminalidade voltou a subir.

Presume-se, que devido ao aquecimento do clima por volta do século IV, alguns oásis da rota sul secaram, de modo que a rota norte foi preferida a partir de então.

A fundação da Dinastia Song em 960 deu à China um impulso econômico. A urbanização e industrialização que durou até 1127, é comparada pelos historiadores ao boom econômico na Europa, 600 anos depois.

As cidades-oásis ao longo da Rota da Seda eram locais onde prevalecia um elevado nível de cultura espiritual e material. Novas técnicas e ideias foram trocadas entre as cidades vizinhas. Os produtos comerciais mais importantes eram pinturas em vidro da Síria, especiarias da Índia e seda da China. Posteriormente, outros bens de luxo como porcelana, jade ou têxteis também foram comercializados.

A criação de bichos-da-seda no Leste Asiático começou há cerca de 5.000 anos. A qualidade inicialmente bastante pobre da seda aumentou com o passar do tempo. Portanto, os tecidos resultantes dos fios das fiandeiras de seda, foram comercializados com uma qualidade superior.

O comércio no mar do Norte e no Báltico aumentou, assim como o volume geral do comércio em todo o continente. Um exemplo disso foi a liga Hanseática - neste exemplo, os comerciantes e, posteriormente, cidades inteiras, uniram-se para formar uma liga. Em seu auge, a liga hanseática variou de Reval (hoje Estônia) a Bruges, na Bélgica. A unidade comercial de atuação internacional, deu um claro sinal de globalização.

O comércio nas regiões do sul não tinha ligas, comparáveis ​​à Liga Hanseática, na época. Os comerciantes do norte da Itália lucraram com a experiência que ganharam com os comerciantes muçulmanos. Veneza deve sua riqueza principalmente ao comércio com o Oriente.

A rota do sul foi mais uma vez usada no Império Mongol nos séculos 13 e 14. O comércio não era realizado apenas por terra, mas também por mar.

Nos séculos 13 e 14, o comércio com o Ocidente foi intensificado. Especialmente as viagens de Marco Polo impulsionaram o comércio. O uso da Rota da Seda era a rota preferida, em tempos de paz.

Ao contrário de Veneza, a cidade de Gênova era comercializada principalmente no Mar Mediterrâneo Ocidental e também nos portos europeus do Atlântico.

Após o século XIV, os marinheiros genoveses navegaram sob a bandeira portuguesa. Sua principal rota para a Índia eram as vias marítimas da costa ocidental da África.

1492 marcou uma mudança no comércio. Com a descoberta da América do “Novo Mundo”, o comércio nacional foi estendido também ao comércio exterior. Mas não foi até a declaração de independência em 1776, que a América foi capaz de comercializar de forma independente. Depois daquele dia, o comércio entre a América e a Europa floresceu. O mar dos portugueses não era novo, porque o tratado de Tordesilhas, em 1494, deu-lhes o direito de passagem exclusivo na rota do sul, desde as ilhas Canárias. Os portugueses dominaram o comércio marítimo no oceano Índico. A Península Ibérica cresceu para se tornar o coração do comércio. O comércio com o Oriente também se expandiu após Vasco da Gama, que viajou para a Índia como o primeiro europeu, em 1498.

O monopólo espanhol foi severamente danificado pelo bucaneiro Sir Francis Drake em 1577, que navegou por ordem da Rainha Elisabeth I. Os britânicos e holandeses navegaram sob as ordens de seus herdeiros, enquanto os portugueses só tinham licença para navegar. A privatização do comércio foi impulsionada pelo estabelecimento de suas próprias colônias comerciais, que estavam ligadas a corporações multinacionais.

Em 1578, o primeiro navio conseguiu navegar, de Lisboa a Malakka, sem escala.

Portanto, não apenas o comércio dentro da Europa se desenvolveu, mas a região asiática também foi fortemente influenciada por isso.

O comércio na Rota da Seda terminou no século 17, com o colapso da Dinastia Ming.

Além disso, o comércio foi moldado pelas guerras emergentes dos séculos seguintes. No entanto, não apenas as guerras influenciaram o comércio, mas também a crise econômica mundial abalou muito o comércio. No entanto, o comércio pode continuar a se desenvolver para que o comércio global seja possível hoje.


Os efeitos da guerra

A frequência excessiva de guerra e caos fez com que a estrada da seda terrestre não tivesse um ambiente estável e já estivesse quebrada.


Em 670 d.C., Tubo invadiu a região Hexi e chamas de batalha assolaram por toda parte. Não havia mercadores na estrada e as cidades ao longo da rota perderam sua agitação habitual, o que sem dúvida levou ao declínio da Rota da Seda.


Na época da dinastia Song, outra minoria étnica quebrou o silêncio da rota da seda mais uma vez. Essa minoria foi Xixia que invadiu hexi e assumiu o controle da área. Os governantes de Xixia freqüentemente adotavam a política de & taxação quotheavy & quot, o que afetava fortemente o comércio da estrada da seda. Além disso, os governantes das planícies centrais vieram depois que Xixia também não tinha intenção de reviver a Rota da Seda, fazendo-a desaparecer na história.


A Rota da Seda, que esteve ativa por mais de 2.500 anos, foi a tábua de salvação da antiga civilização chinesa. Mas, por todas as razões acima, ele finalmente se deprimiu e desapareceu no longo rio da história.


A Rota da Seda: o Renascimento da História

A Rota da Seda não era uma única "estrada de ferro", mas sim uma rede de rotas comerciais que ligava cidades, feitorias, albergues e locais de abastecimento de caravanas. Foi mais ativo de cerca de 300 aC a 200 dC e estendeu-se entre a fronteira romana oriental no Oriente Médio até a fronteira chinesa, com outros caminhos indo para o norte através do Afeganistão, do Oceano Índico à estepe siberiana.

Os produtos raramente eram transportados de uma ponta a outra da Rota da Seda pelos mesmos comerciantes. Pessoas nessas localidades amplamente separadas participaram da rede de comércio, adicionando vários produtos às caravanas à medida que passavam pelos mercados ao longo do caminho: marfins da Índia, cavalos da Sibéria e Mongólia, rubis e granadas do Afeganistão e tapetes da Pérsia e do norte do centro Ásia.

Atualmente, de acordo com as estimativas mais conservadoras, o volume de negócios do comércio da Ásia e da Europa crescerá anualmente em média 2-3 por cento. Assim, 7 anos depois, em 2020, estima-se em 240 milhões de toneladas em termos físicos e 1,8 trilhão de dólares em termos monetários. Ainda hoje existe uma luta por esse boato entre países que estão expandindo seu potencial de trânsito e entre diferentes modos de transporte.

Considerando o desenvolvimento das rotas entre a Ásia e a Europa, o destaque principal é dado ao trânsito de mercadorias da China, que nas últimas três décadas tem demonstrado o crescimento da economia em uma média de 10 por cento ao ano que lhe permitiu atingir o PIB de 8,5 trilhões de dólares e passa para o segundo lugar no mundo por este indicador, atrás dos Estados Unidos. A participação do Reino do Meio hoje é responsável por mais de 20% do comércio mundial total.

A maior parte dos produtos manufaturados da China - 80% são transportados em contêineres por mar. Apesar de ser o meio de transporte mais barato, a entrega exige mais tempo do que o tráfego ferroviário direto da China para a Europa.

Portanto, não é surpreendente que, no âmbito da Organização de Cooperação de Xangai (SCO), os membros da & quotsix & quot decidiram reviver a Rota da Seda. Em uma reunião recente em Bishkek, o Ministro da Ciência e Tecnologia da China Wang Gang disse que a Nova Rota da Seda pode ser traçada da China à Europa, passando pela Rússia e Ásia Central (Cazaquistão, Uzbequistão e Turcomenistão).

Trata-se de criar um corredor transnacional em quase todo o território do continente euro-asiático. Esses corredores são destinados não apenas à capacidade de movimentar bens e serviços, mas também à criação de clusters industriais, novas indústrias, tecnologias de ponta.

Uma rede de mão única do Oceano Pacífico ao Mar Báltico eliminará as barreiras comerciais, reduzirá o tempo de entrega de mercadorias e aumentará as liquidações mútuas em moedas nacionais. Such a project will allow to minimize transportation costs, as the Silk Road about one-third shorter than the sea route that goes around Asia and the Arabian Peninsula.

It is planned that implementation of this project will reduce delivery of goods from China. If now the goods to Europe are delivered in 45 days by sea, by the Trans-Siberian - about two weeks, the new path will be the shortest and take no more than 10 days.

Earlier, representatives of Washington offered China a different route, the so-called TRACECA that passes around Russia through the Caucasus to the Caspian and Black seas. As it was more difficult and more expensive, the most effective was the project of the New Silk Road.

The possibilities for this project are also attractive with the fact that until the middle of the next year, the countries of the Customs Union - Kazakhstan, Russia and Belarus - are going to join forces for creating a powerful project that is called by experts as the most striking and perhaps the first joint project of the "three" aimed at minimizing timing of shipments in the direction of "East-West".

The authorities of the three countries claim that the project of the United Transportation and Logistics Company (UTLC) will increase the revenue base of all the national railway companies of the three countries and will provide a real breakthrough in the development of the logistics of the participating countries of CU. Actually , the Customs Union, was created as a kind of "link" between Europe and the Asia -Pacific region . Combining of natural resources, capital, strong human potential will enable Kazakhstan, Russia and Belarus to strengthen their positions in the industrial and technological race, the competition for investors and for the creation of new jobs.

If for the creating of the European Union it took more than 40 years, the Customs Union and Common Economic Space were created in record time, as it was taken into account the experience of the EU and other regional organizations.

It is not surprising that the economic integration started from the transport sector, because cooperation of rail carriers, like no other partnership is the least aggressive and competitive. Railways of one country cannot be used in isolation. Especially because in this direction there is a single route network, inherited from the time of the Soviet Union.

Kazakhstan, the main initiator of establishment of the Customs Union, is now increasing its investment to the railways. Railway authorities have set ambitious goals to themselves - increase freight and passenger traffic from Western Europe and Russia via Kazakhstan to South-East Asia, from China and the Persian Gulf in 2020 - twice, and in 2050 - to ten times.

Over the past few years for this goal it has been laid second railway from China with the capacity of 25 million tons, requiring investment of over one billion U.S. dollars. Such is the price of 293-kilometer stretch from Zhetygen to Khorgos at the Chinese border. This route became part of stretching for 10,800 kilometers highway from Chinese Chongqing to German Duisburg. This year, Kazakhstan intends to invest $ 1.3 billion to the development of railways .

Due to the construction of new corridors transit through Kazakhstan has become more convenient than the Trans-Siberian railway line linking the Pacific coast with the European Union.

The generated logistics company will be approximately 2 - 2, 25 billion U.S. dollars. It will use not only existing rail infrastructure, but will also involve the management of interests of the participating countries of this union.

It is assumed that the "Russian Railways" will contribute to the joint venture its 50 percent + two shares of "TransContainer" and 100 per cent stake of "Russian Railways Logistics . "JSC" Kazakhstan Temir Joly" will make assets of "Kaztransservice" and "Kedentransservice" and the Belarusian side , in turn, can provide nearly 3 thousand flatcars . In addition , all parties will give to UTLC wagons for the transportation of containers , the containers and the necessary property of rail freight terminals at stations Zabaykalsk (RF), Dostyk (Kazakhstan), Altynkol (Kazakhstan ), Brest - North (Belarus).

In addition to the use of existing transit corridors, creating of UTLC is also convenient because the union of carriers of the three countries allows to provide the most favorable conditions for shippers. With the establishment of UTLC the shipper does not have to negotiate separately with Kazakhstan, separate and apart from Russia and Belarus. He will be provided by shipping conditions from "Dostyk" (Kazakh-Chinese border - Auth.) to "Brest" (Belarus border town - Auth.).

Other than the direct economic benefits for the countries of Customs Union in the framework of increasing transit traffic between Europe and Asia (and vice versa), the development of the international transport corridor has another aspect: it will promote the mutual exchange of technology between customs and freight forwarders and between producers as well.

As a rule, for the transit and the construction of new sites there are fighting the countries of all over the world. One proof of this is the recent announcement of the largest operators in the world, who decided to combine their efforts for the implementation of container traffic in the field of maritime transport. In mid-June of this year, the three largest container operators - Danish Maersk Line, the Swiss Mediterranean Shipping Company (MSC) and the French CMA CGM agreed to create a unified network services.

At present, their total share to world container capacity is about 37 percent. They intend to collaborate on areas of Asia-Europe traffic across the Pacific and the Atlantic. Such a plan would require approval by regulators and numerous technical study, so the beginning of the joint operation is scheduled for the second quarter of 2014 (that is, as UTLC does, by the middle of next year).

At the same time, European and Eurasian analogs of new transport routes are unlikely to compete with each other. These projects will be implemented in the different modes of transport, and that’s why each of them will take its place , each - for defined category of consumers. Owners of high-value goods are generally not interested in the sea route, despite the fact that the latter is the cheapest. Land route in this case is two times shorter and three times faster by delivery terms, and is also safer. Cargo going by rail is much easier to control.

So far as it is known, according to world statistics first place among all types of transport by cargo turnover and total volume of transportation work is given to maritime transport, it carries more than 60 per cent of global turnover. Rail's share in the global turnover is 21 percent, the rest falls on motor mode of transport.

Motor corridor in the direction from China to Europe, by the way , also taken on the agenda of the countries that are actively developing their transit potential . Construction of the highway " Western Europe - Western China" began in 2009 . The total length of the corridor along the route St. Petersburg - Moscow - Nizhny Novgorod - Kazan - Orenburg - Aktobe - Kyzylorda - Shymkent - Taraz - Kordai - Almaty - Khorgos - Urumqi - Lanzhou - Zhengzhou - Lianyungang is 8,445 kilometers. Among them, 2,233 kilometers are on the territory of the Russian Federation, 2787 miles - the Republic of Kazakhstan , 3,425 kilometers - the People's Republic of China.

According to experts, the construction of the international transit corridor will reduce the delivery term of goods from China to Europe by road almost 3.5 times compared to the sea.


Trading hub

The regions role as a trading hub also meant that the area served as a currency exchange. Most western currencies never made it further east than this and most eastern and Chinese coins never made it further west than this. The traders in the Ganges Delta primarily used eastern currencies when they traded with eastern merchants and western currencies when they traded with western merchants. Traders would exchange currency with each-other to have the appropriate currency when trading with merchants from different areas. This was not strictly speaking necessary since the coins were made out of precious metals and their worth was determined by their gold or silver value. Many traders would none the less prefer to trade using currencies that was widely circulated in their part of the world. IE Western traders preferred the silver drachm of the Sasanian empire (Neo-Persian) or the gold solidus of the Byzantine empire (Eastern Rome) and eastern traders preferred Chinese currency.

Currency brokers

The traders in the Ganges delta did in other words fill a function similar to what currency exchange brokers do today. Currency brokers help facilitate the trade between different countries and cultures by allowing people to buy and sell currencies. Today these brokers also facilitate currency speculation and fx trading, The buying and selling of currencies to make a profit from changes in the exchange rate. This was not possible at the time of the silk road since, as earlier mention, the value of the currencies was fixed to the value of the metals they were made of. Many contemporary currencies in the area remains fixed to this day.


The Beginning

Ulbricht has claimed that when he started working on Silk Road in 2010, it was never his intention to enable the creation of the black market it would become. The recent Penn State University graduate had just earned his master’s in science and was struggling to make an impact with his entrepreneurial efforts. The used-book startup he joined with his friend Donny Palmertree, Good Wagon Books, was going belly-up when he left it to work on Silk Road full-time.

In a court letter during his sentencing, Ulbricht wrote that he built the marketplace because “people should have the right to buy and sell whatever they wanted so long as they weren’t hurting anyone else.” That the website became a hub for drug trafficking was an unintended (and regretful) consequence, he insisted.

“Silk Road was supposed to be about giving people the freedom to make their own choices, to pursue their own happiness, however they individually saw fit. What it turned into was, in part, a convenient way for people to satisfy their drug addictions. I do not and never have advocated the abuse of drugs.”

If he had been more “mature,” the court letter goes on, he would have 𠇍one things differently.” In a twisted sort of way, Ulbricht’s ostensible regret and his eventual arrest can be seen as a measure of the site’s success. 

For an anarchic market, Silk Road was fastidiously curated. Ulbricht created escrow accounts for transactions, drugs had product descriptions and pictures like you𠆝 find on other online marketplaces, and sellers and their wares even had review sections. It also had a strict set of rules regulating what could and couldn’t be sold child porn, weapons and anything that could be used to inflict harm on others were strictly prohibited. 

What started as Ulbricht selling his own homegrown psychedelic mushrooms to kickstart the marketplace swelled to 10,000 accounts in 2012 and, eventually, 1 million at its peak. Before its closure, analysts estimated that it attracted anywhere from $15 million to $45 million annually in black-market business. As the site swelled in popularity, Ulbricht kept a full-time staff and paid $50,000 a month for security.


Sikkim Silk Route – The First Century AD Route

Sikkim Silk Route or the Old Silk Route is the route that connects India and China. This route was used during first century AD for trade purposes. You could have guessed what type of goods would have been traded through this route. Yes, silk is the most common goods.

Along with silk tea, horses and many other treasured commodities were traded. This route connects Butão, Sikkim, West Bengal, China and many other places. During the winter season between November and April, this route would be totally covered by snow making it the most inhospitable route. During summer and early winter, this route would be a paradise. This route connects some of the heavens in the world.

Tourism Magnets in Sikkim Silk Route

1. Lingtam

It is a hamlet amidst the mountains. Isto é o first tourism destination in the route. It is a few kilometres away from Rishikhola There are a very few houses in this hamlet. The main attractions in this spot are the Aritar Lake, the mountains and the scenery filled environment.

2. Rishikhola

This is the most commonly sought destination is the route. It is named after the river that flows through this area, Rishi. Khola is translated as river. There are no standard resorts or hub in this place. You cannot find any luxury here. This is the place where you can enjoy nature. The hospitality of the people in this place is extraordinary. The river is worth visit. The crystal and chill water of the river is at its prime beauty all through the year.

3. Zuluk

Zuluk is for scenic value. Again, there are no resorts in this area. House stays are allowed. Usually people spend a night here and resume their travel. No matter where you see, you would find scenery that is worth taking a few pictures.

4. Nathang Valley

This area is maintained by Indian Army. There are a few British bungalows and lodges there for tourists. During winter, this place is covered with very chill wind waves. Most of the area is Army Cantonment and the tourists are not allowed in those areas. Near the valley, you can find Tsomgo Lake and Mandakini Waterfall. There are no water activities here. You can get a good view of the waterfall.

5. Lungthung

People usually skip Nathang Valley and stop at Lungthung. It is a hamlet. The place is very scenic. You can take the route towards Gangtok City and enjoy a lot of attractions. Or, you can travel in the silk route and visit Tsomgo Lake, Baba Mandir, Zig Zag road, Thambi view point and others.

6. Menmecho Lake

It is a little away from the road. You need to trek a little to find this lake as vehicles are not allowed. It is a beautiful view and has a lot of places where you can have a picnic lunch. If you do not want to trek, you can see the lake on the way from Zuluk to Nathang Valley.

7. Eagle’s Nest

A little away from Nathang Valley, you can find an army bunker. It is not used by the army now and is opened for tourists. The bunker is located in the highest point. In the early morning you can get an aerial view of the sunrise and all the mountains. Another spot to watch sunrise is the Thambi View Point.

8. Kupup Lake

Kupup Lake is also called as Elephant Lake. If you had taken the route towards Bangkok, you can find this lake that is in the shape of an elephant. There are no water based activities in this lake. It is more of a scenic place and you can have a calm picnic near the lake.

9. Baba Mandir

There are two temples of Baba. The old one and the new Baba Mandir are maintained by Indian Army. You would be welcomed by the Jawans and you can have tea with the army heroes. In that chilling weather, the tea would be great refreshment. If you had taken the Bangkok road, you would not be able to enter the old Mandir. The new temple is opened in both the routes.

10. The Border and the Market

Nathula Pass is the Índia – China border. You can visit this spot only if you have authorized permit. The hotel manager at Gangtok can help get the permit. If you had taken the silk route, your journey would stop at the Nathula Pass. You can see the oldest gate that divides India and China. Though there is not much to see. This gate is worth a visit. On the way back, you can find Sorethang, the China Market. You can get clothes at a reasonable rate. You can get high quality jackets for not more than 2000 rupees. These are Chinese goods that are sold in India. This market is the first point in the Indian Territory. A lot of tourists buy things from this market as souvenir.

It should not take more than seven days if you have a tight schedule. The trip starts at Sillery on day one. You can end the day at Zuluk on the second day. The third day ends at Lungthung , fourth day in Ramdhura, fifth day in Nathang Valley, sixth day to the gate and you can start back on seventh day.

Se você é opting for choosing a package from any agent, the package starts from 5,000 rupees per person and it varies based on the season and the type of package. Child below the age of five would usually not be charged. If you are planning to travel with a child, remember to forgo attractions that need a lot of walking or trekking. Se você é planning to visit during winter, you can enjoy the snow capped mountains, chilled breeze and mild snow fall.

This is once in a lifetime experience. If you are someone who loves to travel and explore unique spots, this route is the best vacation plan for you and your family.


Assista o vídeo: NOVA ROTA DA SEDA - CORREDOR PAQUISTANÊS. Professor HOC (Pode 2022).