Podcasts de história

10 de julho de 1943

10 de julho de 1943

10 de julho de 1943

Itália

As tropas aliadas desembarcam na Sicília, abrindo uma segunda frente na Europa.

Guerra no ar

Oitava missão de bombardeiro pesado da Força Aérea No. 72: 286 enviada para atacar o campo de aviação em Caen / Carpiquet. 34 atingiram o alvo principal, 36 atingiram o campo de aviação de Abbeville / Drucat. Três aeronaves perdidas.

Pacífico

Dia principal dos combates na enseada Enogai, na costa noroeste da Nova Geórgia. As tropas americanas capturam a maior parte da posição, eliminando uma bateria de canhões costeiros japoneses.



Lições anfíbias aprendidas - Operação Husky 10 de julho de 1943

A organização da praia era melhor do que & # x27Torch & # x27, mas ainda havia problemas causados, principalmente por erro humano. Um exemplo foi o uso indevido do milagroso DUKW, um caminhão anfíbio americano de 2,5 toneladas. Aqueles que transportavam tropas deveriam tê-los depositado nas praias de desembarque ou próximo a elas, mas optaram por entregar sua carga humana perto da linha de frente. O congestionamento nas estreitas ruas e estradas sicilianas era caótico, numa época em que o movimento de suprimentos e armas era uma prioridade. Um DUKW estava carregado com 10 toneladas de munição, quando o limite era um quarto disso. Para grande consternação do motorista, seu DUKW desapareceu sob as ondas quando ele saiu da rampa!

mv2.png / v1 / fit / w_300, h_300, al_c, q_5 / file.png "/>

Melhoria na impermeabilização de veículos e medidas de recuperação para embarcações encalhadas ou quebradas, reduzindo as perdas para apenas 1,5% nas praias britânicas. Nas praias ocidentais mais expostas, as perdas rondam os 12%. O pequeno porto de Licata tinha uma capacidade de manuseio de navios maior do que se pensava e isso aliviou a pressão sobre os suprimentos e as comunicações, além de reduzir a dependência de Siracusa e Augusta.

Erros humanos de julgamento na gestão e controle de homens e materiais, nas praias de desembarque, causavam atrasos e perda de eficácia. Esse trabalho nada invejável e árduo era o de Beachmaster. Houve comentários críticos da equipe sênior sobre os critérios de seleção, recrutamento e autoridade do titular do cargo. No entanto, na época dos desembarques na Normandia, eles haviam ganhado respeito e autoridade. Diz-se que um mestre de praia ordenou a um general que "saia da minha maldita praia!"

“Os beachmasters e os beachmasters assistentes devem ser homens de personalidade, experiência e antiguidade adequada, capazes de exercer controle completo no escuro.” (McGrigor).

“Os Beachmasters do Mar do Mar devem ser preferencialmente mal-humorados e certamente ditatoriais por natureza.” (Henriques).

& quotO Brick (Beach) Commander deve ser o King of the Brick (Beach) area & quot (Maund).

& quotAlguns dos Beachmasters americanos são muito juniores e muito educados com os generais. & quot (General Wedemeyer de Eisenhower & # x27s staff).

Houve abusos no uso de homens e materiais. Um comandante de divisão realocou homens engajados na mudança de suprimentos. Em 12 horas, eles estavam na linha de frente. Posteriormente, ele reclamou de atrasos no abastecimento que chegam às linhas de frente! Muitos oficiais superiores, que deveriam ter sabido melhor, consideravam os Beach Groups um "pool de tudo enviado por Deus". Relatórios posteriores de diferentes fontes criticaram esta fase da operação.

Os americanos tinham um procedimento operacional padrão (SOP) para o desembarque de homens e materiais. Isso exigia que todos os homens e materiais para o primeiro batalhão desembarcar em um único navio. No entanto, não havia nenhum navio capaz de transportar todas as embarcações de desembarque necessárias, então outras embarcações de desembarque foram convocadas de navios próximos.

Esse arranjo exigia um alto grau de treinamento e imunidade completa contra interferência inimiga. Potencialmente, à medida que as embarcações de desembarque se moviam no escuro, indo de uma embarcação para outra, algumas poderiam se perder e outras atrasar. Henriques comunicou suas preocupações a Patton, que considerou seriamente adotar a técnica britânica, mas decidiu que estava muito perto da data operacional para fazer alterações de última hora. No evento, os ensaios minuciosos dos americanos e a falta de oposição do inimigo permitiram que o sistema funcionasse.

Sob o sistema britânico, as tropas, seu equipamento e as embarcações de desembarque de que precisavam para chegar às praias, eram distribuídas entre vários navios de forma que cada um fosse independente e pudesse desembarcar de forma independente suas cargas em seus próprios barcos de desembarque. De acordo com esses arranjos, não havia necessidade de utilizar embarcações de desembarque de outros navios, evitando assim as dificuldades inerentes mencionadas anteriormente. Os desembarques do Truscott & # x27s, usando o método britânico, foram particularmente bem-sucedidos. Princípios para pousos anfíbios aperfeiçoados e desenvolvidos ao longo de anos de experiência em Operações Combinadas foram colocados em prática. Henriques atribuiu seu sucesso a

velocidade juntamente com a devida concessão de tempo para o grupo de praia desenvolver as praias ininterruptamente,

surpresa porque uma proporção substancial da infantaria recebeu ordens de passar resistência e efeito, com a máxima velocidade, uma penetração profunda no terreno elevado que comandava a cabeça de ponte em perspectiva e suas abordagens,

a mobilização e concentração de todos os meios possíveis de suporte de fogo para os pousos iniciais,

o fornecimento de tropas de assalto especialmente equipadas e especialmente treinadas para lutar nas unidades em que desembarcaram,

o sacrifício da organização militar normal para este fim,

a retenção de uma reserva flutuante muito poderosa,

ensaio adequado e cuidadosamente planejado com o devido tempo para correção de falhas,

planejamento nos mínimos detalhes que gerou confiança suficiente para enfrentar problemas imprevistos com flexibilidade.

Henriques também ficou muito impressionado com as tripulações da Marinha dos Estados Unidos. & quotSua frieza e disciplina foram bastante notáveis ​​e nunca puderam ser esquecidas por nenhum dos soldados que participaram da operação. & quot

Outras lições foram aprendidas com os americanos. Enquanto a unidade básica britânica do grupo de praia era um batalhão de infantaria, os americanos tinham uma Unidade de Engenharia em Terra com uma alta proporção de homens tecnicamente qualificados. Essas habilidades foram inestimáveis ​​para resolver rapidamente problemas imprevistos na área da cabeça de praia. Além disso, os americanos tinham um método eficiente e eficaz de carregar navios de armazenamento, com grupos de armazéns presos juntos para carregamento em DUKWs para facilitar o despacho para a costa.


Hoje na História da Segunda Guerra Mundial - 10 de julho de 1943

75 anos atrás - 10 de julho de 1943: Operação Husky: Aliados invadem a Sicília. O Sétimo Exército dos EUA pousa e toma Gela, Scoglitti e Licata, enquanto o Oitavo Exército britânico pousa e toma Syracuse. Os EUA usam pela primeira vez veículos anfíbios DUKW em combate em pousos de Husky. A Marinha dos EUA usa pela primeira vez um navio de Comunicações Gerais (USS Ancon) para coordenar as comunicações navio-terra.

Sala de Operações Conjuntas a bordo do navio de comunicações gerais USS Ancon, Oran, Argélia, 3 de julho de 1943 (Arquivos Nacionais dos EUA)


Re: Ilhas Salomão, 10 de julho de 1943 Operações do Pacífico

Postado por PassandReviewofWW2 & raquo 07 de agosto de 2019, 18:13

Re: Ilhas Salomão, 10 de julho de 1943 Operações do Pacífico

Postado por PassandReviewofWW2 & raquo 07 de agosto de 2019, 18:19

Re: Ilhas Salomão, 10 de julho de 1943 Operações do Pacífico

Postado por PassandReviewofWW2 & raquo 09 de agosto de 2019, 19:36

Re: Ilhas Salomão, 10 de julho de 1943 Operações do Pacífico

Postado por PassandReviewofWW2 & raquo 09 de agosto de 2019, 19:39

Re: Ilhas Salomão, 10 de julho de 1943 Operações do Pacífico

Postado por PassandReviewofWW2 & raquo 09 de agosto de 2019, 19:43

Re: Ilhas Salomão, 10 de julho de 1943 Operações do Pacífico

Postado por PassandReviewofWW2 & raquo 09 de agosto de 2019, 19:46

Cross Fire from South Pillbox to Point 526 Level Two Hill Hex Blocked by Jungle Terrain

Re: Ilhas Salomão, 10 de julho de 1943 Operações do Pacífico

Postado por PassandReviewofWW2 & raquo 15 de agosto de 2019, 19:23

Re: Ilhas Salomão, 10 de julho de 1943 Operações do Pacífico

Postado por PassandReviewofWW2 & raquo 15 de agosto de 2019, 19:42

Esclarecimento das regras de bambu / escova:
1. O jogador do U S anuncia que o líder 9-1 com 3 esquadrões dobrará o tempo / mover-se-á para o Nível Um Hill / Open Ground Hex e entrará no Bamboo Hex ao lado de
Bunker japonês.
2. Quando o U S Player se move para o Nível Um Hill Open Ground Hex, ao lado do Bamboo, o jogador japonês informa ao U S Player que deve entrar
o Bambu Hex, as Unidades de Infantaria U S NÃO PODEM entrar no Bambu Hex, que representa terreno difícil.
3. As unidades de infantaria do US teriam que ser PRÓXIMAS ao Bamboo, durante o início da fase de movimentação do jogador do US, mesmo que CX,
Depois de entrar no bambu durante a fase de movimento, essas unidades de infantaria não podem se mover mais durante essa fase de movimento.
4. No exemplo mostrado, as Unidades de Jogador U S seriam consideradas como tendo Dupla Tempo, / Status CX, mas devem parar no Nível Um Hill Open Ground Hex
antes do Bamboo Hex.
No final da Fase de Movimento do Jogador do U S / Fase de Tiro Defensivo do Jogador Japonês
A Fase de Avanço do Jogador dos EUA ocorre e NÃO faz parte da Fase de Movimento
------------------------------------------------------------------------------

1. Fase de avanço / que ocorre no final da jogada do jogador /
uma. Qualquer unidade de infantaria que dobrou de tempo ou se tornou CX, durante a fase de movimento NÃO PODE, fase de avanço mover um hex para o bambu,
b. A fase de avanço difere da fase de movimento, durante a fase de movimento, uma unidade de infantaria CX, que começa a fase de movimento ao lado de bambu Hex PODERIA
Digite Bamboo Hex, para ilustrar a diferença nos fatores de movimento de fase de movimento e fase avançada


Memories of a Sapper, Royal Engineers Part Two - From Iraq to Egypt (publicado na 50th Northumbrian Division) and Operation Husky, the Invasion of Sicily 10th July 1943.

Memórias de um Sapador, Engenheiros Reais Parte Dois - Do Iraque ao Egito (postado na 50ª Divisão da Nortúmbria) e Operação Husky, a Invasão da Sicília 10 de julho de 1943.

Parte dois de uma entrevista de história oral com o Exmo. Alderman Bill Astle conduzido por Jenny Ford em nome do Museu Bedford

“Fomos do Iraque para o Oriente Médio. Então, eu fui destacado de uma Unidade e de lá fui para a 50ª Divisão da Nortúmbria, Brigada 151, 50ª Divisão da Nortúmbria e fui obviamente participar das Campanhas no Oriente Médio, foi isso.

Estávamos retirando as minas! Não havia muitas pontes no deserto! Risada! Quer dizer, isso é normal, mas eram minas. Predominantemente minas. Você tem que perceber que alguns desses campos minados tinham cerca de 14 quilômetros de profundidade. Porque eles minaram o campo e então nós minamos o campo e então - nós saltaríamos um sobre o outro. Eles ainda os encontram, ainda os encontram da Segunda Guerra Mundial. A areia, o vento sopra a areia e ela os descobre, muda o tempo todo, o deserto está sempre se movendo, o vento muda, sempre se move você sabe.

As pessoas têm ideias erradas, normalmente para serem justas pensam que o deserto é só areia mas não é, é xisto, pedaços de rocha, xisto e espinho de camelo e há vida selvagem lá, gazelas no deserto, há vida selvagem lá e assim por diante. Raramente se via um camelo explodido. O camelo tem um senso infalível, como um cachorro, suponho que na verdade, você raramente vê um camelo explodido. Você vê burros explodidos, mas raramente via camelos - também eles tinham pés muito largos, o que ajudou, suponho. Eles o baniram agora, bem, as nações concordantes baniram universalmente as minas terrestres agora, mas ainda há milhões e milhões delas. Alamein, eles ainda explodem quando os ventos sopram naquela área, eles ainda chegam ao topo, eles ainda explodem. Você nunca sabe que eles estão nas praias da Inglaterra. Há peças que foram extraídas e ainda encontram minas. sim. Onde o mar moveu um pouco a areia e moveu a mina, ainda os encontre.

Bem, as minas foram mapeadas quando foram colocadas, se você as colocou, sim. Mas você não tem como saber para onde eles vão, onde o inimigo os colocou. E eles se tornaram muito sofisticados à medida que a guerra continuava. Eles fizeram um Schümine (S-42) que era feito de cerâmica para que não pudesse ser detectado com um detector de minas. Um detector de metal obviamente detectaria uma mina de metal.

Também fazíamos o abastecimento de água que era outro trabalho. Purificação de água que era trabalho de uma empresa de campo, um ponto de água que chamávamos, é outro trabalho que fizemos. É onde o pobre e velho Salmon foi deixado lá sozinho e eles explodiram em pedaços. Ele voltou e o RSM disse: 'O que você está fazendo aqui?' Ele disse 'O ponto de água explodiu em pedaços', ele disse, 'vamos pegar outro carregamento de coisas e fazer outro' ele disse, mas com isso tempo que o cérebro do pobre velho Salmon tinha ido embora, era isso.

Eu estive lá até a campanha terminar. Depois voltamos de Enfidival, na Tunísia, para treinar para a invasão da Sicília. Isso foi no final de 42 no meu caso, até que fomos para a Sicília, que foi em 1943 após a fuga de Alamein. Minha Brigada então, em 50 Div. tinha três Batalhões, 6º, 8º e 9º Durham e Infantaria Leve e Alex Wakenshaw incidentalmente em um dos Batalhões de Durham conseguiu a Cruz Vitória. Não é que não existam heróis "nascidos". Estou tentando explicar, você faz uma coisa porque não se torna imune a ela, mas isso altera seu cérebro, então até certo ponto você está ocupado fazendo outras coisas, mas até certo ponto isso altera seu cérebro, o que dissipa uma certa quantidade de medo . Você sabe, você não, não passa pela sua mente que a qualquer segundo você pode ser morto, você sabe, você faz isso automaticamente. Mas isso são todos os serviços, seja uma tripulação de bombardeiro ou seja da Marinha Real, qualquer um. Era isso, todos vocês tinham que trabalhar em equipe, nem todos podiam fazer suas próprias coisas. Houve uma espécie de exercício entre vocês e essa é a única maneira de progredir, você não pode fazer isso individualmente, você tem que fazer isso como uma unidade combinada. Isso é trabalho em equipe, trabalho em equipe absoluto! Isso é o que é, trabalho em equipe absoluto. É aí que o treinamento entrou. Foi martelado em você uma e outra vez, foi batido em você, você sabe. Isso não significa que você não pode cometer erros por causa de erros ou prefiro usar a palavra acidente, caras perderam a vida porque pisaram em uma mina ou tropeçaram em um arame ou dispararam uma armadilha. As armadilhas que você vê podem ser qualquer coisa. Pode ser um repolho em um balde ou em uma cisterna de banheiro. Você vai lá, o luxo de ir ao banheiro direito, se você foi estúpido o suficiente para usá-lo, é entrar lá e quando você terminar puxa a corrente e toda a droga do monte sobe!

Enquanto estávamos na Tunísia, fizemos o mesmo que fizemos no deserto, levantando minas ou construindo diferentes fragmentos de fortificação ou o que quer que seja. Exatamente o mesmo que todas as unidades de campo faziam, esse era o seu trabalho. Havia outras Unidades de Engenharia, você vê - elas nunca entraram em ação, nunca entraram na ‘linha’. Eles eram empresas AW, artífices e obras, agora eles construíram coisas e trabalharam em coisas como hospitais e novos quartéis, coisas assim, mas eles não eram unidades vivas. Você tinha o Descarte de Bomba que veio atrás de nós, eles não costumavam entrar na 'linha' em toda a Unidade de Descarte de Bomba, eles estavam te seguindo para limpar as minas e armadilhas e coisas que você tinha entrado.

Fazia um calor terrível, podia ser frio e glacial à noite. Você se vê de bermuda e camiseta, etc. durante o dia e à noite, você usaria um sobretudo, um pulôver e um capacete de gala, sim. Estava muito, muito frio à noite, intensamente frio. Mas nós superamos isso. Mais tarde, tivemos neve. Terminamos na Itália, estávamos nos Apeninos e no inverno a neve chegava até a cintura lá dentro e você tinha uma barraca entre vocês dois, uma pequena barraca de filhote. E o mais estranho de tudo, mesmo nisso, nunca tive um resfriado! Isso é estranho, não é? E havia centenas e centenas e milhares como eu que nunca teve um resfriado, isso foi uma coisa estranha, foi um fenômeno que você nunca, eu nunca tive um resfriado.

‘Operação Husky’ 10 de julho de 1943, a Invasão da Sicília.
Desembarcamos no local chamado Avola, que fica perto de Siracusa, desembarcamos lá também com a Infantaria e claro que fomos direto porque nosso primeiro trabalho foi ver se conseguíamos separar as minas que ali estavam. Então, para começar, fomos direto para lá. Eu entrei de um barco de desembarque, você sai da ponta na água e deve ter um buraco, esse pobre coitado que entrou comigo desceu no buraco e sumiu! Eu tive que agarrá-lo e puxá-lo novamente. E também quando você entra, você estava com sua mochila e tudo mais. Você tem sua mochila e capacete de aço, seu rifle, todo o tiro porque costumávamos usar a baioneta para cutucar minas, cutucá-las. Você nem sempre usou um detector, na verdade, se você estava ao redor do Monte Etna na Sicília, você pode esquecer um detector por causa da magnetita que estava no solo do vulcão. Isso era magnético, então tornava um detector de minas inútil. O mesmo teria se aplicado em qualquer lugar ao redor do Monte Vesúvio, perto de Nápoles, de qualquer maneira. Isso aconteceu durante a guerra também, que levou uma das aldeias embora, Pola eu acho que era e também os alemães pesadamente presos em armadilhas, eles construíram um muro falso eu acho. Eu não estava lá, disparou e os Correios em Nápoles e tinha um fusível de tempo e os Correios, tinha gente dentro e disparou, explodiu em pedaços, explodiu os Correios em pedaços.

Os alemães estavam lá! Eles estavam em SITU! Tivemos sorte, eu não contaria nenhuma história. Suponho, para ser justo, no desembarque inicial os americanos levaram a pior parte porque estavam enfrentando tropas alemãs, mas onde pousamos havia tropas italianas. Bem, não houve muita luta, quero dizer, você conseguiu que o tiro esporádico disparasse, mas suas mãos logo se levantaram. Não estou entendendo uma carga heróica nem nada, mas a parte horrível, é claro, em todos os lugares foi minada. O Argyll não perdeu o fim das rachaduras e assim por diante, a Infantaria não perdeu o fim onde as minas foram colocadas nos juncos e assim por diante. Eles tiveram que sair da praia, passar por esses juncos e o que quer que você tenha e o tipo de vegetação qualquer que seja a vegetação e eles estavam fortemente minados, você vê. Outro deles era uma granada de pau. Uma granada de pau é como uma cápsula redonda no topo de um pedaço de pau, há uma corda que desce em uma espécie de buraco no meio do pedaço de pau até uma bola de gude e na parte inferior do pedaço de pau há uma tampa de rosca. Bem, o que você faz para operar um desses é desfazer a tampa de rosca, puxar o cabo e, em seguida, jogá-lo - é deles. A nossa era uma granada ‘Mills 47’, uma coisa diferente, como um abacaxi, puxe o pino para fora e, em seguida, o pino mantém a alavanca para baixo, você puxa o pino, segura com força e depois joga. E então alguns deles, você tinha que ser muito rápido com eles porque eles cortaram o tempo do fusível de sete para quatro segundos, então você não teve muito tempo para mexer com a coisa, você teve que se livrar muito rápido. Em seguida, os italianos tinham o que chamavam de "Red Devils", eles eram como uma, ooh aproximadamente uma granada em forma de ovo, eles chamavam de "Red Devils". Essas coisas espalhadas como bolas de gude por todo o lugar algumas vezes, você sabia como se livrar delas, sabe. Não era apenas o caso de levantar uma mina porque no fundo da mina eles podiam colocar gelignite no fundo da mina e era aparafusado para que pudessem inserir isso e aquilo ia para uma armadilha. Então você poderia estar lidando com uma mina Teller e enquanto estivesse lidando com ela, onde você estivesse, uma explodiria embaixo de você. Então, no final, não houve heroísmo, no final todas as minas foram retiradas, sempre que possível. Então costumávamos colocar um pedaço de cabo de sinal dannit ao redor da alça da mina e então você colocava um macaco, e a mina era assim - você tem a mina lá e diz, então você tem um pedaço de madeira, um tijolo, qualquer coisa. Você amarrou um pedaço de cabo dannit ao redor dele, por cima deste, e então a uma distância muito, muito respeitável, de preferência sob uma cobertura, você o puxou. Então o que aconteceu foi que você vê, assim que você puxou a mina subiu daquele jeito, você vê. Então, o motivo pelo qual fizemos isso foi que perdemos tantos homens em minas que tinham uma armadilha explosiva, bem, ainda perdemos muitos homens, mas não perdemos tantos, possivelmente.

A Sicília é um lugar maravilhoso para uvas, lindo e eles chamam a Sicília de Califórnia do Mediterrâneo porque não há absolutamente nada que não cresça na Sicília. Você sabe que aqueles grandes mandarins que você pega, eles vêm da Sicília, é de onde eles vêm. Parece uma grande tangerina, não é? E as uvas são adoráveis ​​nos campos as uvas, mas se você for maluco o suficiente e for marchar para o campo para colher um cacho de uvas sem cuidado, você não vai provar as uvas, não vai estar lá para prová-las ! Em qualquer lugar onde as armadilhas vão, você tem que ter muito cuidado. Você pode andar sobre um pedaço de chão e eles ainda encontrarão minas depois disso, você andou até lá, você é o sortudo por ter perdido isso! Não sabíamos o que havia ali porque essas minas foram colocadas nos escombros. Costumávamos encontrar civis lá, as mulheres, crianças, que haviam passado por cima deles.

E você tem que lembrar que o homem que nos comandou, nosso oficial, nosso oficial de pelotão, tinha apenas a minha idade. Então, aos 23 anos, ele se tornou o pai de seu comando. Ele era um homem adorável. Ele tinha uma história que eu sempre achei ótima. Ele veio de uma família pobre em Gorbals, Glasgow, que é um distrito de Glasgow, ele foi para a universidade e estudou para ser Engenheiro Civil, ele realmente fez isso da maneira mais difícil. E ele era um 'cavalheiro' absoluto para seus homens, 'cavalheiro' absoluto. Coisas que realmente não deveríamos fazer e vou dar um exemplo - uma noite descemos em Catánia, na Sicília, para colocar minas, o que eles chamam de granadas de Hawkins na frente da Infantaria. Na verdade, às vezes nos víamos fazendo isso na frente da infantaria. E ele disse, disse ao seu Batman / Motorista, qualquer coisa, 'Roberts, vá e encontre qualquer lata de água sobressalente.' E então ele entrou em seu jipe ​​com seu Batman, eles percorreram as aldeias enchendo-os de vinho e enquanto descíamos onde a infantaria estava em suas trincheiras, etc., ele simplesmente deixava uma lata e dizia: “Tome uma bebida comigo!” E era assim que ele era, sim, ótimo, oh, um homem adorável que ele era.

Se alguém lhe disser que nunca teve medo, o cara com a Victoria Cross admitiu o fato de que estava com medo, todos nós estávamos com medo. Há qualquer homem, qualquer pessoa que diga que não teve medo, nunca acredite, eles são mentirosos. Todos nós tínhamos medo. O medo está com você, está lá, é a autopreservação. A razão de você ter medo é através da autopreservação. Se você não soubesse o que era o medo, você sempre seria muito descuidado. Você iria em frente e começaria a levantar coisas sobre sua cabeça e imediatamente explodiria, não é?

Os alemães voltaram para a Itália. Eles atravessaram o Estreito de Messina até Reggio Calabria, que fica a uma distância muito curta - Reggio Calabria é o dedo do pé da Itália.

Eu estava na Sicília até voltar ao hospital - estava quase acabando e eu tive que voltar com uma queixa de estômago. Eles me mandaram para o Norte da África, para fora de Argel, eu fui para um hospital militar lá e saí de lá e voltei para o Depósito de Reforço. ”

© Os direitos autorais do conteúdo contribuído para este arquivo pertencem ao autor. Descubra como você pode usar isso.


Há 76 anos, em 10 de julho de 1943, os Aliados desembarcaram na Sicília. Aqui, uma foto do "outro lado" - oficiais e soldados do 123º Regimento de Infantaria Costeira, que enfrentou o desembarque americano em Scoglitti. 1943. [959 x 502]

O oficial no centro da foto é o comandante do regimento, coronel Giuseppe Primaverile.

A foto vem do livro de Domenico Anfora La battaglia degli Iblei, que também fornece alguns detalhes sobre o destino subsequente desta unidade.

O 123º Regimento de Infantaria Costeira, comandado pelo Coronel Giuseppe Primaverile, fazia parte da 206ª Divisão Costeira, que guarnecia o canto sudeste da Sicília, onde ocorreram os principais desembarques britânicos e canadenses (mas não na área guarnecida pelo 123º) . O 123º Regimento tinha seu quartel-general na cidade de Scicli e, na noite anterior aos desembarques, envolveu-se em uma série de combates esparsos contra pára-quedistas americanos que pousaram por engano em seu setor. O Coronel Primaverile recebeu um telefonema de um posto avançado que havia sido capturado por pára-quedistas americanos - o homem do outro lado da linha, que por sua voz parecia um ítalo-americano, “elogiou seu valor militar e sugeriu que ele deveria se render melhor, ou então ”. Em vez disso, Primaverile ordenou um contra-ataque, que levou à captura de cem paraquedistas, que foram entregues ao Carabinieri of Scicli. Na manhã de 10 de julho de 1943, as baterias costeiras operadas pelo 123º Regimento se opuseram ao desembarque americano em Scoglitti (onde a praia era defendida por um regimento costeiro diferente, o 178º), o Coronel Primaverile escreveu posteriormente em seu relatório que “Antes do amanhecer de 10 de julho, os dois comandantes de batalhão relataram que vários navios inimigos estavam no mar ao largo da costa, a leste e a oeste. Informei o comando da divisão, depois ordenei aos comandos do grupo e do batalhão que abrissem fogo assim que os navios inimigos estivessem ao alcance dos canhões. A primeira bateria a abrir fogo foi no dia 74, às 4 horas, quando os navios inimigos já haviam se aproximado da costa e lançado âncora para iniciar as operações de desembarque. O fogo foi muito efetivo, pois o mar em frente à praia de Scoglitti estava lotado de navios inimigos, estimados em cerca de 800. Sete navios foram atingidos, conforme relatado pelo posto de observação naval de Punta Secca. A 74ª bateria foi alvo da artilharia naval e silenciada após alguns tiros. As posições, as armas, os depósitos de munição foram destruídos. As perdas entre o pessoal foram pesadas, como mais tarde soube no cativeiro dois oficiais e uma dúzia de artilheiros mortos, muitos mais feridos”. Durante os dias 10 e 11 de julho, unidades do 123º Regimento Costeiro entraram em confronto com a 45ª Divisão Americana, que havia desembarcado em Scoglitti, no vilarejo de Santa Croce Camerina e em outros postos e bloqueios de estradas próximos. Eles foram derrotados e, na manhã de 12 de julho, quando a 206ª Divisão Costeira desmoronou gradualmente e as cidades vizinhas de Ragusa e Modica foram capturadas pelos americanos e canadenses, respectivamente, os remanescentes da 123ª Divisão se viram cercados. Unidades do Regimento Edmonton (2ª Brigada de Infantaria Canadense), apoiadas por uma tropa de tanques Sherman e por pára-quedistas americanos, marcharam em direção a Scicli, e às 11 horas da manhã de 12 de julho um negociador americano apresentou-se ao Coronel Primaverile, exigindo sua render. Primaveril rendeu-se e o 123º Regimento de Infantaria Costeira deixou de existir.


A Batalha de Kursk F atua

&touro A batalha envolveu mais de 4 milhões de pessoas de ambos os lados, além de 70.000 canhões de artilharia, 23.000 tanques e 12.000 aviões de guerra.

&touro Durou 50 dias e 50 noites e terminou em 23 de agosto com uma vitória definitiva do exército soviético.

&touro Cerca de 200.000 residentes de Kursk morreram na batalha. Seus nomes foram inscritos no Livro da Memória.

&touro Existem cerca de 400 monumentos de guerra na região de Kursk.

&touro Coordenadas da batalha: 51 ° 30'04 "N, 51 ° 30'03" N, 36 ° 03'05 "E

&touro Estima-se que no final da batalha cerca de 350 tanques alemães foram destruídos. Por outro lado, cerca de 600 & ndash 800 tanques soviéticos foram destruídos, mas não há dados confiáveis ​​sobre isso.

&touro A Batalha de Kursk representou a última ofensiva alemã na frente oriental.

&touro A maior batalha de tanques da história ocorreu em 12 de julho em Prkhorovkha, onde estima-se que 1.500 tanques participaram.

&touro Os soviéticos sabiam dos planos alemães antes, e o fato de os alemães atrasarem seu ataque ajudou os soviéticos a se organizarem mais até o início da batalha em julho.

Batalha de Kursk: Frente Oriental 1943

& cópia Batalha de Kursk: Frente Oriental 1943 - Todos os direitos reservados! - Batalha de Kursk - Contato - Política


1000 homens, 1000 histórias

A edição de 10 de julho de The Montreal Daily Star contém muitas notícias relacionadas à Operação HUSKY, a invasão da Sicília. Os itens selecionados aparecerão abaixo.

Alguns canadenses em operações combinadas, parte da Força Oriental, e membros das quatro flotilhas canadenses de embarcações de desembarque a bordo de vários navios de tropa, baixaram suas embarcações de desembarque de assalto (LCAs) - cheias de tropas aliadas - nas águas muito cedo na manhã de dia 10. Outros marinheiros canadenses, designados para embarcações de desembarque mecanizadas (LCMs), prepararam-se - mais tarde pela manhã - para os muitos longos dias que antecederam a entrega de todos os materiais essenciais de guerra na costa.

Doug Harrison (RCNVR, Combined Ops), parte da 80ª Flotilha Canadense de LCMs, disse o seguinte sobre as primeiras horas do ataque:

10 de julho de 1943. Chegamos ao largo da Sicília no meio da noite e paramos a cerca de seis quilômetros daqui. Outros navios e novos LCIs (infantaria de embarcações de desembarque), barcaças bastante grandes, estavam desembarcando tropas. Os soldados saíram de cada lado da vela focal, desceram os degraus para a água e depois para a costa, período em que vimos muitos disparos traçadores. Esta seria a nossa pior invasão até agora. Os que ficaram a bordo tiveram que esperar até o amanhecer, então fomos pescar por uma hora ou mais, mas não havia peixes.

Foi emitido um sinal, ou seja, & # 8220Não dispare em aeronaves voando baixo, elas são nossas e estão rebocando planadores. & # 8221 O quê, no escuro? De manhã, conforme avançávamos lentamente, vimos planadores por toda parte. Eu os vi saindo da água, caindo na terra e nos vinhedos. Em meus 27 dias lá, não vi um planador intacto. Começamos a descarregar suprimentos com nossos LCMs a cerca de oitocentos metros da praia e então o pior começou - bombardeiros alemães. Fomos bombardeados 36 vezes nas primeiras 72 horas - ao anoitecer, à noite, ao amanhecer e durante todo o dia, e disseram que tínhamos o domínio total do ar. (Página 31, "PAI, BEM FEITO")

Um poderoso guarda-chuva aéreo auxiliou as forças de invasão aliadas, compostas por tropas americanas, britânicas e canadenses. Relatórios escassos e não oficiais afirmam que a invasão, auxiliada por forte apoio naval, está "ocorrendo de acordo com o plano". As indicações eram de que os defensores do Eixo estavam lutando duramente.


Havia tropas canadenses, soldados rudes que presumivelmente esperavam até recentemente na Inglaterra pela chance de vingar seus camaradas que caíram em Dieppe e que há muito haviam recebido a promessa de liderar a invasão da fortaleza europeia de Hitler.


Bliele, vestindo um casaco de pele e óculos de proteção, me mostrou com mapas como ele voava ao longo do litoral. Ele removeu suas câmeras abarrotadas com o que ele acreditava serem as melhores fotos da guerra enquanto falava.


Sicília, da Microfilme, como em The Montreal Daily Star, 10 de julho

Instruções sendo sinalizadas para o navio de desembarque à espera por semáforo na madrugada de
o primeiro dia da invasão da Sicília. Um é LCI (L) 124, o outro é um
LCT não identificado. Crédito da foto - 2ª guerra mundial hoje

Artigos que chamam a atenção principalmente para o papel do Canadá em relação à invasão da Sicília - que, aparentemente, foi quase desconhecida - são encontrados na edição de 10 de julho de A estrela:

Depois fui jantar com o patrão e um chefe do P.R. Falamos de tudo, menos do exército.

Kit Tropical

Um uniforme tropical primeiro! It shook me a little as I went into the quartermaster stores to be fitted for khaki shorts and longs with bush shirts and the rest of tropical paraphernalia. This certainly cannot be manoeuvres, I thought.

There was some mention of anti-malaria precautions to be taken but even then I was not entirely convinced. One never is until "briefed" - told of the plan of attack and the target and details, and the briefing was still evidently some time off for me.

I was attached to one of the assault infantry regiments which was scheduled on "manoeuvres" to storm a beach at a vital point and help establish a bridgehead for the invading forces to follow up. The next day I joined my unit.

Capt. Dave Maclellan of Halifax, out P.R.O. and I determined to turn out a ship's newspaper on a small printing press as soon as we left Britain.

There were several conferences on board before departure, all officers attending, at which the commanding officer of the unit, who came from Guelph, Ont., and who is operational commander aboard the ship, outlined plans for practice landings.

For several days we lay off the British coast and at one stage went ashore for a brisk route march in a rain storm. One practice landing was carried out in miserable weather. Troops were soaked going ashore when they waded the last 50 yards or more, and it rained most of the day. But they were in high spirits and singing as they returned to the ships to dry out.

Line of Ships

Infantry landing ships like the one we were aboard were anchored all around. In a slight mist obscuring the harbor most of the time you could not determine how many there were, for the line of ships extended far off into the distance.

Between practice landings and route marches there was plenty of time to lounge around and talk of what the future held. One's convictions swayed from belief that perhaps the whole thing would be cancelled - an awful thought - to speculation on the target. There was not a soul aboard our ship who knew the target, or even the area, with the possible exception of the Colonel.

I heard it mentioned in all seriousness that an attack on Singapore was a probability, and also that this force would strike at Japan with other co-ordinated task forces.

The Balkans were a favourite target for our cabin strategists and we considered a landing on the mainland of italy, her Mediterranean islands, somewhere on the south coast of France, in Greece, or even a long voyage to attack the Japanese in Burma, or an operation out of India.

There is "no" best unit in the army, but the infantry assault force Which I accompanied certainly is considered in the top bracket of infantry battalions.

The combined operations nature of this operation was emphasized aboard our infantry landing ship which had been in the original North Africa landings, with the skipper winning the Distinguished Service cross for handling the ship with gallantry and skill east of Algiers during an intense bombing. On the decks were Canadian and British soldiers in battle dress (their tropical uniforms were hidden in their packs), as well as naval ratings and officers and some R.A.F. officers.

The first night aboard ship in port a meeting of all officers was called. The majority were Canadians but there were some British officers too, Royal Navy officers in blue battle dress with "R.N. Commando" flashes and Air Force officers, as well as commanders of special service units, experts in combined operations.

A Dutch officer aboard the ship made a moving speech directed to the Canadians in which he spoke with emotion of the gratitude of the people of the netherlands for the hospitality Canada had offered "our Princess and her children." Then he said: "I hope this operation will bring great glory to Canada, Holland and the Allied nations."

Before the Canadians embarked they had taken down their patches and "Canada" shoulder flashes. From appearance they might have been British troops. But when they shouted to girls on the streets of the towns through which they marched or made passing comments to civilians they sounded pure Canadian.

We returned to port again for final preparations and to restock the ship with food, fuel and water. I had been in this port a number of times in the past few years and never had seen such a collection of shipping there.

Get Final Letters Written

The long wait before sailing eventually became tedious. Finally we were told we had just one day to get final letters written. These letters were taken ashore, censored and mailed when the expedition reached its destination. Everyone aboard was permitted to write these letters concerned with private and personal matters.

The commander of the naval force came aboard to speak with the naval crews. He told them they would like going on the operation - he described it as a "raid" - and wished them luck. A few days before leaving Lord Louis Mountbatten, Chief of Combined Operations, said good-bye to the naval crews.

Lt.-Gen. A. G. L. McNaughton, commander of the Canadian Overseas Army, and Lt.-Gen. H. D. G. Crerar, commander of a Canadian Corps, visited a number of Canadian Units. Among the Canadian units are field artillery regiments, an anti-aircraft regiment, an anti-tank regiment, and services formations - Royal Canadian Army Service Corps, Royal Canadian Corps of Signals and Royal Canadian Ordnance Corps.

During the long wait before sailing we settled down to routine ship-board life. The men ate regular army food in the mess decks and there was beefing, as there usually is about army food. But the men seemed as happy as most troops. They played cards or shot dice.

Each morning the officers had them on the outer decks for physical training or lectures on a variety of military subjects, including weapons, platoon and company tactics, treatment of prisoners of war, field hygiene and medical practices. Several evenings there were concerts put on by some of the men for the other troops. There was little chance for real boredom to set in.

The two war correspondents aboard were put to work. Peter Stursberg of the Canadian Broadcasting Corporation did a nightly radio broadcast over the ship's public address system of news heard from the BBC in London. In addition Stursberg and this writer gave talks to the troops. I talked to them half a dozen times on the campaign in Tunisia.

Another article (author, title unknown) supplies a few facts and details concerning members of the Canadian Armed Forces (Army and Navy, including members of Combined Operations), and mentions modifications to tanks used in the assault:

There were new craft for this last dress rehearsal - well-named because there were plenty of dress rehearsals for the Canadians and they did not know at this time that they were really away to the wars.

Special Craft Used By Canadians

This time the Canadians had the benefit of a number of special craft developed by Combined Operations during the past year.

This manoeuvre gave a picture of what may have happened in Sicily during today's early hours. The Canadians went ashore under cover of darkness in waves followed by thousands of supporting troops, beach parties, artillery and supply, signals and ordnance troops, which will maintain the fighting units in the field. Assault engineers went ahead to clear the minefields then the infantry pushed inland. With dawn larger landing craft poured more troops onto the beach and as it became light air support appeared.

(Radio Algiers, broadcasting to Italy, said that "the battle of Africa is ended and the battle of Europe has begun. The warnings of president Roosevelt and Premier Churchill have come true. Italy, dragged by Mussolini into Hitler's war, has become a battlefield. The German rearguard action is being fought on Italy's soil.")

The Climax


Mario Puzo

Photo: Ken Schles/The LIFE Images Collection via Getty Images/Getty Images

If Luciano created the blueprint for organized crime, then Mario Puzo is responsible for igniting the public&aposs love affair with the subject thanks to the 1969 publication of The Godfather. Raised in the gritty Manhattan neighborhood of Hell&aposs Kitchen, Puzo saw plenty of tough guys run the streets but had no personal experience with gang activity. Nevertheless, his story of the Corleone family landed on the New York Times best-seller list for 67 weeks, before he found even greater fame by teaming with Francis Ford Coppola to pen the Academy Award-winning screenplays for the first two Godfather filmes. Puzo also earned script credits for Super homen e Superman IIਊnd authored more than a dozen books altogether, but he remains best known for the work that introduced Old World terms like &aposconsigliere&apos and &aposomertà&apos to the English-speaking masses.

List of site sources >>>


Assista o vídeo: WWII O Desfile de Notícias do Ano de 1943 (Janeiro 2022).